Paulo Bárbara tem colónia de campeões

Paulo Bárbara voltou a ter uma temporada triunfal em 2021! O columbófilo de Entradas, no concelho de Castro Verde, que concorre pela Sociedade “Asas Verdes”, venceu nas categorias de Absoluto e de Meio-Fundo da Zona Sul na campanha deste ano, organizada pela Associação Columbófila do Distrito de Beja.

Em Absolutos Paulo Bárbara viu os seus pombos somarem um total de 25.318 pontos, muito acima dos 18.615 alcançados por Rui Vilalva, vencedor na mesma categoria na Zona Norte. E no Meio-Fundo, o concorrente de Entradas obteve 8.003 pontos, também mais que a equipa Melrinitas Top Pigeons, de Serpa, que venceu na Zona Norte com 6.194 pontos.

“Foi um ano positivo, mas podia ter sido melhor”, assume Paulo Bárbara, de 55 anos, ao “CA”. “A gente quando concorre é para ganhar tudo, mas os outros adversários também têm o seu mérito. Gosto de ganhar, mas também sei perder”, acrescenta.

Para o columbófilo, o segredo destes títulos (e de todos os outros conquistados nas épocas anteriores) está na sua colónia e no trabalho que lá é desenvolvido diariamente. “São muitas horas de trabalho e muitas horas sem dormir, porque quem não treina não ganha. É assim em todos os desportos e nos pombos é igual”, revela.

É por isso mesmo que Paulo Bárbara treina o seus atletas todos os dias, de segunda-feira a sábado, duas vezes por dia. Domingo é dia de prova… e de treino para os pombos que não vão à competição.

“A campanha é muito desgastante e são muitos quilómetros, principalmente no fundo. Quem não tiver uma boa equipa e bem treinada não consegue chegar ao fim, pelo menos nos primeiros lugares”, frisa.

A colónia de Paulo Bárbara, instalada na sua casa em Entradas, conta atualmente com cerca de 200 pombos em condições de competir.

“Estão aqui muitos anos de trabalho. Desde 2005, quando vim da Suíça, que comecei a anilhar. E ao fim de quatro ou cinco anos comecei a ganhar”, revela ao “CA” , considerando que ganhar não é uma questão “de sorte”, mas sim “de preparação”.

“O ‘segredo’ é trabalhar muito e ter bons atletas, bem preparados. Dizem que não há campeão sem sorte, mas só com sorte não se vai lá”, argumenta.

A columbofilia é uma paixão antiga de Paulo Bárbara. “Nos pombos não ganho nada, só os títulos. Não sou negociante, a minha vida é outra”, garante, assumindo que a categoria que mais gozo lhe dá participar é no Fundo.

“É a categoria mais exigente e a aquela em que o pombo tem de ter mais qualidade. Ir e vir há muitos, mas vir na frente é que conta”, justifica.

Sempre que inicia uma nova campanha, Paulo Bárbara entra em competição “para ganhar”. Por isso mesmo, as metas para 2022 estão, desde já, traçadas: “Quero ganhar ainda mais!”

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima