Exposição sobre José Saramago para ver em Odemira

O espaço CRIAR, em Odemira, tem patente até ao dia 16 de novembro a exposição de artes plásticas “Saramago Mediterrâneo”, que homenageia o falecido escritor e que integra a programação de 2021 do festival “Sete Sóis Sete Luas”.

Segundo a Câmara de Odemira, “Saramago Mediterrâneo” é uma exposição internacional itinerante dedicada a José Saramago e ao romance Ensaio Sobre a Cegueira.

A mostra conta com a participação de 41 artistas de vários países da rede “Sete Sóis Sete Luas” (Marrocos, Cabo Verde, Portugal, Itália, Espanha, França) que colaboraram com o festival durante os seus 29 anos de existência.

A Câmara de Odemira frisa que, para a organização do certame, esta exposição “partiu do sentimento que liga o festival ao grande escritor português e é uma homenagem ao seu pensamento, às suas ideias, à sua poética”.

Nesse sentido, foi pedido a pintores, escultores e fotógrafos dos vários países da rede cultural “que criassem uma obra inspirada em Saramago e, de modo especial, no seu romance Ensaio sobre a Cegueira, que se tornou ainda mais atual com o aparecimento nas nossas vidas da emergência originada pela Covid-19”.

“A cegueira de que fala Saramago é uma epidemia contagiosa, um beco sem saída, e nas entrelinhas é revelada uma análise bem lúcida acerca da natureza humana, que nos parece falar sobre nós próprios”, frisa a organização do “Sete Sóis Sete Luas”.

Recorde-se que este festival tem uma “ligação especial” com José Saramago, que remonta a 1992, altura em que o escritor cedeu a um grupo de jovens estudantes os direitos da edição italiana do livro O ano de 1993.

Desde esse momento, e até à sua morte, Saramago foi o presidente honorário do festival, sendo o próprio nome do festival tirado de um de seus romances, Memorial do Convento, a partir das personagens Baltazar “Sete Sóis” e Blimunda “Sete Luas”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima