Que desenvolvimento queremos nós?

Quinta-feira, 6 Junho, 2013

Jorge Rosa

Esta é uma questão que colocamos há imenso tempo aos nossos governantes nacionais e que até hoje ainda não vimos respondida. Que desenvolvimento queremos, que caminho devemos seguir, em suma, como podemos trabalhar?
O país parou, a economia perdeu boa parte da sua vitalidade, o desemprego aumenta, os impostos também, as prestações sociais sobem, e à medida que o desemprego sobe mais se agrava este cenário. Cada vez mais portugueses a precisar de ajuda, as autarquias nos limites das suas capacidades de prestar esses auxílios e ninguém parece importar-se. Obras importantes param, estancando-se melhores possibilidades de desenvolvimento, atrasam-se outras, como é exemplo o TGV, mas com que propósito? A nível regional demos um bom impulso nos últimos anos, com Sines, mas sobretudo com Alqueva, apesar também das ditas dúvidas sobre a sua conclusão, mas podendo ir mais além com aproveitamento adequado do aeroporto, criando acessibilidades adequadas e não parando as que estavam em obra. O Alentejo tem futuro, esta região tem tudo, porque não nos ajudam a desenvolver, porque não somos devidamente apoiados?
Em Mértola tem-se feito um trabalho muito bom, a nível municipal, nomeadamente na infra-estruturação do concelho, na área social e também no turismo, que potencia a actividade comercial e melhora as condições de vida para todos. Mértola tem dinâmica, temos grandes potencialidades, porque não se apoiam mais e melhor estes núcleos dinâmicos, até numa lógica intermunicipal, ou inter-regional, se quisermos? Nós temos o rio Guadiana, que sendo desassoreado desde Vila Real de Santo António até Mértola traria uma dinâmica turística e comercial muito boas a todo o baixo Guadiana. Temos o parque mineiro de São Domingos, que esteve abandonado anos a fio e que tem um potencial turístico e do conhecimento enorme, numa localidade que é muito importante e que necessitava desta atenção. Temos projectados investimentos importantes, como por exemplo o Lar das Cinco Freguesias, obra em lançamento, para onde conseguimos financiamentos e que aguardamos uma resposta do Governo para a viabilizar. Temos um projecto muito bom, cujo promotor seria a própria autarquia, com o Instituto do Desporto, e que não foi financiado, mas que traria um incremento muito forte à prática desportiva náutica, aposta forte neste município. Queremos ou não desenvolver-nos, queremos ou não empregar pessoas, atrair pessoas para o interior, repovoar o interior do país? Posso garantir que a minha vontade como presidente de Câmara é imensa e vamos continuar a trabalhar nesse sentido, pois temos a clara convicção que inverteríamos a tendência depressiva e de decréscimo da população. Nós sabemos ser este o desenvolvimento que queremos!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima