Reguengos de Monsaraz quer rápido início de obras na EN256

Reguengos de Monsaraz quer

A Assembleia Municipal (AM) de Reguengos de Monsaraz reclama o início "em breve" das obras "prometidas" na Estrada Nacional 256 (EN256), de ligação a Évora, considerando o atraso da empreitada como “altamente penalizador para o concelho”.
“O atraso das obras” na EN256 é “altamente penalizador para o concelho e para o Alentejo”, pois, “é incompatível com a estratégia de desenvolvimento sustentável” do município, pode ler-se numa tomada de posição da AM.
A moção a defender o início das obras, concretamente a construção de variantes à cidade de Reguengos de Monsaraz e à Ponte de Albardão, foi aprovada por unanimidade na segunda-feira, 30, em reunião da AM.
Segundo a tomada de posição, “há já algum tempo” que a Câmara “vem reclamando, em nome da segurança rodoviária e de uma melhor acessibilidade ao concelho, o início das obras na EN256, nas variantes à cidade e à Ponte de Albardão”.
Os trabalhos, atesta a moção apresentada pelos eleitos do PS, “já foram prometidos pela Estradas de Portugal”, que até “anunciou a sua adjudicação e início” da empreitada “no final do ano de 2011”, mas as obras “nunca” foram “concretizadas”.
“A variante à Ponte de Albardão foi, no passado 23 de Junho, mais uma vez, ‘palco’ de um grave acidente rodoviário”, que provocou a morte de dois militares do Destacamento Territorial de Reguengos de Monsaraz da GNR, o que “gerou um ambiente de consternação na população”, destaca também o documento.
De acordo com a AM, as presentes condições da EN256 prejudicam a afluência de turistas ao concelho, cuja estratégia de desenvolvimento “passa muito pelo enorme potencial” do Alqueva, os esforços para captar investimento e a própria actuação das novas empresas locais, nomeadamente as ligadas ao turismo.
A AM manifesta “total descontentamento e desacordo pelo atraso nas obras” na estrada nacional, sobretudo no que respeita à empreitada da Ponte de Albardão, no rio Degebe, “há muito adjudicada”.
Invocando a necessidade de melhorar as condições de segurança rodoviária e de acessibilidades ao concelho, a AM exige que as obras “sejam iniciadas em breve”.
A Assembleia Municipal decidiu ainda remeter a moção ao conselho de administração da Estradas de Portugal e ao Governo, nomeadamente ao ministro da Administração Interna.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

DECO promove atendimento em Odemira

Esclarecer dúvidas sobre os direitos do consumidor em diversas áreas é o grande objetivo das sessões gratuitas de atendimento que a DECO – Associação Portuguesa

Role para cima