Regantes “apreensivos” com aumento do preço da água do Alqueva

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

O aumento do preço da água do Alqueva, anunciado na passada semana pela ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, em Beja, está a deixar “apreensivos” os regantes da região, que consideram esta medida “contraditória”.

Em comunicado enviado ao “CA”, a Federação Nacional de Regantes de Portugal (FENAREG) sublinha que “não se compreende o facto de, por um lado, serem anunciados apoios aos agricultores para controlar a subida do preço dos alimentos e, pelo outro, subir 30% um fator que é decisivo para a sua produção, que terá diretamente reflexo no preço dos alimentos e consequentes impactos negativos ao nível social”.

Ainda assim, a FENAREG admite que “o anúncio em como o aumento será aplicável apenas durante um ano, sendo posteriormente aplicado o valor anterior (2022) e da possibilidade de uma redução de preço, deixou para a Federação alguma esperança para o futuro”.

“Contudo, até lá é necessário que a tutela reveja e ajuste parâmetros como a energia”, acrescenta a Federação, considerando ser “urgente uma renegociação do preço da energia e/ou a reversão dos direitos de concessão da central hidroelétrica, com o Estado, a continuar entretanto, a garantir a viabilidade da EDIA”.

No comunicado, a FENAREG aponta ainda “dois pontos menos positivos”, a começar pela “falta de diálogo do Ministério da Agricultura, na medida em que os agricultores regantes devem ser sempre ouvidos e envolvidos nas decisões relacionadas com as campanhas de rega”.

Por outro lado, a Federação critica “o facto do racional económico utilizado para definição do preço da água contemplar apenas critérios contabilísticos, não integrando valores mais nobres de natureza económica, social e ambiental”.

Opinião

Carlos Pinto

16 de Fevereiro, 2024

Saber Andar à frente do tempo

Napoleão Mira

16 de Fevereiro, 2024

E Depois do Adeus…

Vitor Encarnação

2 de Fevereiro, 2024

Adeus

Carlos Pinto

2 de Fevereiro, 2024

Investimento essencial

Carlos Pinto

19 de Janeiro, 2024

Já vemos Luz ao fundo do túnel

Napoleão Mira

19 de Janeiro, 2024

Um Salazar Não Chega

Anterior
Seguinte

EM DESTAQUE

ULTIMA HORA

Role para cima