Pedro do Carmo pede “unidade e coesão” no Partido Socialista

Pedro do Carmo

O presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS espera que as eleições directas para secretário-geral, em Setembro, não coloquem em causa a “unidade e coesão” do partido.
De acordo com o sítio da Federação na Internet, Pedro do Carmo escreveu uma carta aos militantes socialistas do distrito de Beja, onde apela a que todos saibam “vencer o desafio” da próxima eleição do candidato do PS a primeiro-ministro, “respeitando as escolhas individuais” e “sem pôr em causa a unidade e a coesão do partido”.
“Este é um processo eleitoral inovador, que cumpre um desígnio fundamental de abertura à sociedade que se crê poder prestigiar o PS junto dos militantes e dos cidadãos e que contribuirá para a credibilização da política na sociedade portuguesa, num momento de grandes afastamentos e desconfianças”, escreveu o líder da Federação do Baixo Alentejo.
Para Pedro do Carmo, a “responsabilidade conjunta” dos militantes e apoiantes do PS “é promover um processo eleitoral com rigor e elevação”, que respeite o “valor puro da Democracia” e as “opiniões e ideias de cada um”.
“A maturidade política do PS, a sua enorme história, exigem que perante o país este processo decorra com a maior naturalidade possível”, argumentou, lembrando que a “maior responsabilidade” dos socialistas “é servir o país, o Baixo Alentejo e os seus concidadãos”.
Na missiva aos militantes, o presidente dos socialistas do Baixo Alentejo escreveu ainda que os adversários do PS “estão do outro lado”, seja “na governação que arrasa Portugal, que desrespeita os portugueses e que desconsidera a Democracia e as suas leis fundamentais”, seja à esquerda, “em muitas autarquias locais e num registo político comunista do ‘quanto pior melhor’, atacando sempre o PS”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima