Laboratório de análises do Hospital de Serpa não vai fechar

Laboratório de análises do Hospital de Serpa não vai fechar

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) esclareceu hoje que o laboratório de análises do Hospital de Serpa não vai fechar, mas ser convertido em posto de colheitas, e as análises serão asseguradas 24 horas por dia.
A partir de 01 de Outubro, “será efectuada uma reestruturação e não o encerramento do laboratório de patologia clínica” do Hospital de São Paulo, em Serpa, refere a ULSBA, em comunicado.
Segundo a ULSBA, que gere os hospitais de Beja e Serpa, o laboratório vai ser reconvertido e passar “a ser utilizado como posto de colheita de análises clínicas aos utentes referenciados” no concelho de Serpa e nos concelhos limítrofes.
“A medida surge num quadro de reestruturação do funcionamento dos serviços da ULSBA” e para a área de abrangência do Serviço de Urgência Avançada (SUA) de Serpa, instalado no hospital da cidade, as análises são asseguradas no local “por química ‘point of care’ e marcadores cardíacos”, ou seja, pequenos aparelhos portáteis.
Estes aparelhos de química “point of care” e marcadores cardíacos “permitem dar resposta 24 horas por dia às situações de urgência cardíaca, hepática, renal e detecção de fenómenos tromboembólicos”, explica a ULSBA, referindo que existe ainda “o apoio quase imediato” da Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Beja.
A ULSBA sublinha que “está garantida a acessibilidade dos utentes à colheita diária e com uma rápida obtenção dos resultados laboratoriais distribuídos por via electrónica”.
Segundo explicou hoje à Lusa fonte do Serviço de Patologia Clínica da ULSBA, no caso dos doentes atendidos no SUA de Serpa, e tal como acontece nos serviços de Urgência Básica (SUB) de Castro Verde e Moura, as colheitas e as análises são feitas no local e através dos aparelhos de química “point of care” e marcadores cardíacos.
No caso dos doentes externos ao SUA de Serpa, ou seja, os que forem atendidos nos centros e nas extensões de saúde do concelho de Serpa e dos concelhos limítrofes, “tudo vai continuar a funcionar como até agora”, ou seja, são feitas as colheitas nos locais e o material será enviado para o laboratório de patologia clínica do Hospital de Beja, onde serão feitas as análises, explicou.
Na semana passada, após um comunicado da concelhia de Serpa do PCP a contestar o fecho do laboratório de análises do Hospital de Serpa, a Lusa contactou a administração da ULSBA, que escusou-se a reagir ao comunicado dos comunistas, mas confirmou o fecho do laboratório.
No entanto, hoje, através do comunicado enviado à Lusa, a ULSBA refere que o laboratório não vai fechar, mas sim ser reestruturado e convertido em posto de colheitas.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima