JS pede ao Governo a nacionalização dos CTT

JS pede ao Governo a

Cinco federações da Juventude Socialista, entre as quais a do Baixo Alentejo, exigem que o Governo adopte “todas as medidas necessárias para a reposição da qualidade do serviço universal postal, inclusive e se necessário, a nacionalização dos CTT”.
Em comunicado enviado ao “CA” e assinado pelos presidentes das federações do Baixo Alentejo, Algarve, Évora, Viseu e Setúbal, a JS diz encarar “com profunda preocupação a degradação da qualidade do serviço universal postal”, condenando “a política de encerramento de estações de correios” seguida pela administração da empresa.
Os jovens socialistas lembram que os CTT prestam “um serviço público, concessionado pelo Estado, estando por isso vinculada a um conjunto de bases de garantia e pressupostos, que visam garantir a prestação de um serviço universal postal, que não discrimine utilizadores nem limite a acessibilidade das populações a esse serviço”.
Pressupostos esses, acrescenta a JS, “que a empresa tem vindo de forma continuada a não cumprir, levando à aplicação de várias multas por parte da entidade reguladora e originado a indignação de populações e de autarcas, que têm assistido ao fecho das estações de correios nos seus territórios”.
As federações da Juventude Socialista afirmam ainda “que a privatização dos CTT e a consequente priorização do lucro económico em detrimento da qualidade do serviço prestado às populações foi a causa da degradação da qualidade do serviço postal”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima