Festival de Banda Desenhada regressa a Beja em setembro

Exposições, lançamento de livros, conferências, oficinas, sessões de autógrafos e “concertos desenhados” são alguns dos destaques da edição de 2021 do Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja, que vai decorrer entre 3 e 19 de setembro.

A iniciativa é promovida pela Câmara Municipal e vai ter como “epicentro” a Casa da Cultura, sendo inaugurada oficialmente às 21h00 de dia 3 de Setembro (sexta-feira).

Durante as duas semanas de festival, os visitantes poderão visitar as exposições dos portugueses António Jorge Gonçalves, Bárbara Lopes, Jorge Magalhães (com Augusto Trigo, Baptista Mendes, Catherine Labey e Vitor Peon) e Luís Louro, assim como de Bartolomé Seguí (Espanha), Carlo Ambrosini (Itália), Lele Vianello (Itália), Nicolas Barral (França) e Vincent Vanoli (França).

Estarão ainda patentes quatro exposições coletivas, uma das quais intitulada “Ditirambos”, com trabalhos de André Caetano, Carlos Drave, Diogo Carvalho, Francisco Ferreira, Joana Afonso, Nuno Filipe Cancelinha, Raquel Costa, Ricardo Baptista, Sofia Neto e Sónia Mota.

“Toupeira – Há movimento debaixo da terra” é outra das exposições coletivas de Portugal, com obras de Ana Margarida Campaniço, André Ferreira, Andrew Smith, Carlos Apolo, Carlos Páscoa, Cláudia Sofia Dias, Inês Freitas, João Guerreiro, João Laia, João Lam, José Lobato, Lacortei, Luís Guerreiro, Manuel Monteiro, Maria João Careto, Nuno Figueira, Paulo Monteiro, Paulo Narciso, Pedro Caseiro, Pedro Franco, Pedro Ganchinho, Pedro Soares, Pyramid Pug, Rafael Sanzio, Ramiro Morais, Rita Cortês, Sílvio Miroso, Simão Matos, Susa Monteiro, Véte, Vítor Cabral, Zé Francisco e Zé Pedro.

Do Egito chega a mostra coletiva “Shennawy, Tok Tok & Companhia), da autoria de Andeel, Hicham Rahma, Makhlouf, Migo, Mohammed Salah, Shennawy e Tawfik.

Finalmente, a exposição coletiva “Umbra” junta trabalhos de autores de Brasil, Canadá e Portugal, nomeadamente Bárbara Lopes, David Soares, Delfim Ruas, Fernando Relvas, Filipe Abranches, Hugo Maciel, João Chambel, João Sequeira, Jorge Coelho, Marta Teives, Pedro Moura, Ricardo Baptista, Sama, Sérgio Sequeira, Simon Roy e Vasco Ruivo.

Todos os autores das exposições individuais e parte dos das coletivas vão estar em Beja no primeiro fim-de-semana de festival, de 3 a 5 de setembro.

Nesses dias estarão igualmente em Beja a autora portuguesa Catherine Labey (comissária da exposição “Jorge Magalhães”), a portuguesa e divulgadora de banda desenhada Maria José Magalhães (comissária da exposição “Jorge Magalhães”), o francês Jean-Marc Chaussy (das Éditions Mosquito e comissário da exposição “Lele Vianello”), o autor português José Ruy e o francês Nicolas Grivel (da Nicolas Grivel Agency).

Além destas exposições, o Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja 2021 contará ainda com a apresentação de projetos, lançamento de livros, conferências, oficinas, revisão de portfólios, sessões de autógrafos e “concertos desenhados”.

Durante os dias de festival, os visitantes poderão também visitar o Mercado do Livro, onde estarão presentes mais de 70 editores, algumas lojas e muitas serigrafas e originais.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima