Crianças de Castro lançam CD de cante

Crianças de Castro

As crianças do jardim-de-infância do Lar Jacinto Faleiro (Castro Verde) apresentam este domingo, 11, pelas 17h30, no âmbito do festival “Planície Mediterrânica”, o CD “Cantarolando – Encontro de Gerações”.
Um trabalho de cantores de “palmo e meio”, que vão dos dois aos cinco anos, e que é fruto da aposta que a instituição tem vindo a fazer no ensino e na promoção da arte de cantar à alentejana.
“Este CD é o culminar do trabalho que está a ser desenvolvido há sete anos. Fomos a primeira escola do pré-escolar a começar com o cante alentejano”, sublinha ao “CA” a coordenadora pedagógica do jardim-de-infância. “O disco acaba por ser o resultado do ano lectivo 2015-2016 e foram cerca de 80 crianças a participar. Por isso tem um grande valor emocional, quer para os pais quer para nós [educadoras], que estamos no dia-a-dia com as crianças”, acrescenta Joaquina Faustino.
“Chegámos a um ponto em que vimos que os alunos estavam a cantar muito bem e que era importante gravar um CD. Não um CD como um grupo profissional, mas que fosse uma recordação para pais, avós e até para eles um dia mais tarde ouvirem”, reforça David Pereira, que é quem ensina às crianças as modas do cancioneiro tradicional regional.
As gravações do CD decorreram ao longo do último ano lectivo, entre o jardim-de-infância e o cine-teatro municipal. Às crianças juntaram-se, em algumas modas, vários idosos que são clientes do Lar Jacinto Faleiro e que também cantam à alentejana, através do trabalho realizado pelo animador sócio-cultural David Caixeirinho.
“No início pensámos ser só um trabalho do infantário. Mas depois, como sabemos que no lar também cantavam, e porque é muito importante este intercâmbio entre os jovens e os mais velhos, pensámos juntá-los”, justifica David Pereira.

Cante é mais-valia
Há cerca de sete anos que o cante alentejano entrou na rotina das crianças (e respectivas famílias) que frequentam o jardim-de-infância do Lar Jacinto Faleiro.
Este projecto “acaba por ser uma mais-valia, pois tenho reparado que através das crianças até as educadoras já conhecem muitos temas. E já vejo esta nova geração de pais, que só conhecia um ou outro tema mais conhecido, a conhecer todos os temas da região de Castro Verde. Houve uma geração que perdeu a tradição do cante e que agora, através dos filhos, estão a recuperar isso”, observa David Pereira.
“O cante já faz parte da vida deles e houve até meninos que estavam aqui que foram para [o grupo infantil] ‘Os Carapinhas’”, acrescenta Joaquina Faustino, lembrando que este projecto foi igualmente uma ferramenta importante do ponto de vista pedagógico. “O nosso projecto dos últimos três anos era ‘Crescer no Alentejo’ e tinha um bocadinho que ver com as tradições e com tudo o que era associado ao Alentejo, sobretudo à zona de Castro Verde. E o cante acabou por ser uma mais-valia para desenvolvermos o nosso projecto” educativo, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima