Não se esqueça do peixe!

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Elsa Feliciano

nutricionista

O peixe é um alimento muito saudável. Para além de ser um excelente fornecedor de proteínas de alto valor biológico, contem gorduras de muita boa qualidade. É também um alimento rico em vitaminas e minerais como o iodo e o zinco, fundamentais para o organismo.
A gordura do peixe é naturalmente rica num tipo de ácidos gordos denominados por ómega 3, essenciais a uma boa saúde. Estes ácidos gordos desempenham várias funções muito importantes no nosso organismo: ao nível do cérebro pois ajudam ao seu desenvolvimento e manutenção e também na protecção do aparelho cardiovascular, pois aumentam a resistência das artérias, melhoram o ritmo cardíaco e diminuem a formação de coágulos sanguíneos, diminuindo o risco de acidentes vasculares. Por isso se recomenda a ingestão de peixe no mínimo três a cinco vezes por semana, devendo o peixe gordo fazer parte de pelo menos duas dessas refeições.
Sabemos que é particularmente difícil incentivar as crianças a consumir peixe com a regularidade desejável. Os pais, os grandes responsáveis pela introdução de bons hábitos alimentares nas crianças, devem articular-se com a Escola de forma a garantir que este alimento não é esquecido. Opte por confeccionar o peixe de formas diferentes, privilegiando o gosto das crianças. O peixe assado no forno, estufado, grelhado, desfiado em saladas e empadões e de vez em quando frito, permitem-nos variar e criar refeições diferentes, saudáveis e saborosas. Também a indústria alimentar nos oferece alguns produtos pré-cozinhados, que podem ser integrados numa alimentação diversificada, sendo mais uma alternativa interessante para promover o consumo de peixe nestas faixas etárias. Quando se trata de produtos pré-fritos, como é o caso dos Douradinhos, é preferível confecciona-los no forno em substituição da fritura, desta forma não aumentamos o seu conteúdo em gordura. Se tivermos o cuidado de os acompanhar com arroz, legumes e fruta na sobremesa, estamos a fornecer às crianças uma refeição bastante equilibrada. Nestas questões da educação alimentar das crianças, o importante é insistir, insistir…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima