Museu e conservatório

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Miguel Madeira

dirigente do PCP

O Museu Regional de Beja é uma das instituições mais representativas da nossa região. Instalado em edifícios históricos, este valiosíssimo património – atracção para muitos visitantes – onde se preserva o espólio de parte da nossa memória, história, arte e cultura, corresponde a uma riqueza que devemos assegurar, mantendo-se como serviço público de interesse regional e nacional ao serviço da comunidade. Infelizmente o Museu tem sido recentemente notícia pelas piores razões, com justas apreensões sobre o seu futuro (manutenção diária, conservação do espólio e dos edifícios, etc.) e o dos seus trabalhadores.
Não permitindo que nos entretenham com manobras de diversão, a resolução do problema, de momento, passa muito por os municípios assumirem os seus compromissos para com a Assembleia Distrital. E neste particular a Câmara Municipal de Beja (CMB) tem um destacadíssimo e pouco honroso lugar de incumprimento. A CMB, para além de ter votado isolada na Assembleia Distrital, apresentou no seu próprio orçamento compromissos que agora quer rasgar. Até pode parecer estranho a alguns mais distraídos, mas sim, o atual presidente da CMB é a mesma pessoa que em Mértola dizia que Beja devia pagar e agora, em Beja, pasme-se, não o faz. Nem as tomadas de posição em defesa do Museu, pelos trabalhadores, pelos vereadores na oposição, pela Assembleia Municipal e por várias assembleias de freguesia parecem demover a intenção deliberada e irresponsável da CMB de pôr tanta coisa em causa.
O Conservatório Regional do Baixo Alentejo é uma associação de ensino escolar artístico sem fins lucrativos. Iniciou a sua actividade em 1995, fruto da conjugação de esforços de diversas entidades com destaque para o Poder Local democrático. Com sede em Beja, o Conservatório alarga a sua actividade com a abertura de pólos em Moura e em Castro Verde. Actualmente, o Conservatório conta com um quadro estável de professores e funcionários, que garantem a formação artística e vocacional na área da música e da dança a mais de 500 alunos.
Esta importante instituição enfrenta muitas dificuldades hoje em dia. O Governo baralhou e complicou as coisas ao passar as suas responsabilidades regulares para os fundos comunitários, ao abrigo do POPH – Programa Operacional do Potencial Humano, que termina em 2013 – e depois? A Câmara Municipal de Beja, também aqui, não paga, não cumpre e prejudica todos. A manter-se esta situação de incerteza sobre os financiamentos do Governo e da CMB (principais contribuintes), não será possível manter o normal funcionamento e responsabilidades actuais do Conservatório, com um prejuízo enorme para os alunos, cuja maioria (mais de 300) é de Beja.
Expressamos a nossa solidariedade e lutaremos lado a lado com os trabalhadores do Museu Regional e do Conservatório Regional do Baixo Alentejo (confrontados já várias vezes com situações de salários em atraso) e com os seus alunos, pais e encarregados de educação, com os agentes culturais, com as populações.
Não pactuamos com a desresponsabilização, sub-financiamentos e visão mercantilista que este Governo tem da cultura, nem com a incompetência e opções discriminatórias da CMB. Há que exigir o cumprimento das obrigações de cada um, salvaguardando o Museu e o Conservatório, na defesa do nosso rico e vasto património cultural, ao serviço da região, do povo e do país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima