CM Ourique contra fecho da estação dos CTT

CM Ourique contra

A Câmara de Ourique considera “inaceitável” a intenção dos CTT de encerrar a operação directa no concelho, concessionando o serviço público postal a uma entidade terceira, que assumirá quase todas as responsabilidades da actual estação.
“Não podemos aceitar uma privatização de uma privatização, como se o interesse público nacional em matéria de serviço postal universal pudesse andar de mão em mão, perante a passividade das entidades oficiais e do regulador”, afirma o presidente da autarquia.
Marcelo Guerreiro diz mesmo que, “apesar das garantias de continuação do essencial dos serviços postais”, o Município de Ourique “não pode aceitar que uma empresa concessionária de um serviço de natureza pública entre em total contradição com o impulso nacional de valorização do Interior”.
Nesse sentido, revela, a Câmara de Ourique admite vir a utilizar “todos os meios” à sua disposição “para salvaguardar os interesses das populações”, garantir as “obrigações da concessão do serviço postal universal privatizado em 2014” e gerar condições “de efectiva melhoria da qualidade e proximidade do serviço prestado”.
O autarca socialista adianta ainda que irá manifestar a sua “indignação e revolta” perante a intenção dos CTT junto do Governo, da Presidência da República e da Anacom, entidade reguladora das comunicações.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima