Câmara de Cuba atribui Prémio Literário Fialho d’Almeida

A obra Contos da Serra e da Planície, da autoria de António Neves, venceu a primeira edição do Prémio Literário Fialho d’Almeida, anunciou esta terça-feira, 13, a Câmara Municipal de Cuba.

O prémio foi criado em Junho de 2019 e é fruto de uma parceria entre o Município de Cuba, a Direcção Regional de Cultural do Alentejo e a Associação Cultural Fialho de Almeida.

O nome do vencedor, que assinou sob o pseudónimo E. S. Tagino, foi anunciado numa sessão pública realizada no Museu Literário Casa Fialho d’Almeida, naquela vila, revela a autarquia em comunicado.

A obra Contos da Serra e da Planície foi distinguida na modalidade de conto e ao seu autor foi entregue um prémio pecuniário no valor três mil euros, disse a câmara.

O livro irá ainda ser publicado “numa editora de reconhecido mérito, sob coordenação da Biblioteca Municipal de Cuba e da Associação Cultural Fialho de Almeida, constando na edição a referência ao prémio”, acrescenta.

António José Costa Neves é natural de Grândola (Setúbal) e reside em Almada (no mesmo distrito) há mais de 40 anos.

Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o autor foi bolseiro da Câmara de Grândola e da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo as suas obras já lhe granjeado diversos prémios literários desde 2006.

O Prémio Literário Fialho d’Almeida tem por objetivo homenagear o jornalista e escritor que nasceu em Vila de Frades, no concelho de Vidigueira (distrito de Beja), em 1857, e que faleceu na vila de Cuba, em 1911.

Fomentar o gosto pela leitura e pela escrita e promover, defender e valorizar a língua portuguesa são outras das metas da iniciativa com o nome do jornalista e escritor, autor de obras como Os Gatos e O País das Uvas.

Nesta primeira edição do prémio, foram submetidas 20 obras a concurso nas modalidades de coletânea de contos e romance, das quais foram seleccionadas 13 finalistas.

Além da obra vencedora, o júri determinou ainda a entrega de uma menção honrosa ao romance “As olvidadas léguas da raia”, de Tiago Passão Salgueiro.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima