Aljustrel: Saúde sem registo de alterações

Aljustrel: Saúde sem registo de alterações

O presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo garante que não se têm verificado “alterações nem aumento da procura” dos serviços de Saúde por parte da população de Aljustrel nas patologias que podem ser ligadas à questão da qualidade do ar.
“Estou a falar em problemas de pele, em problemas respiratórios, em problemas de neoplasias, em doenças respiratórias crónicas. Não existem alterações significativas nestas patologias”, afiança José Robalo.
Uma garantia reforçada nesta semana, em comunicado, pela ARS do Alentejo: “De momento, não é possível estabelecer uma relação causal directa e única [do pó negro] com os problemas de saúde da população”. A ARS do Alentejo acrescenta ser “fundamental o estudo de avaliação do impacto ambiental em curso, com avaliação do impacto da actividade mineira na saúde, em cujo processo de apreciação se irá participar”.
E garante “que a ULSBA e a ARS do Alentejo, assim como as autoridades de Saúde, continuam a monitorizar os dados disponibilizados, de forma a que sejam estabelecidas as medidas necessárias às circunstâncias que forem surgindo”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima