Taça de Portugal: Moura AC eliminado, Mineiro, Castrense e Vasco da Gama "estreiam-se" este domingo

Taça de Portugal: Moura AC eliminado

A época 2012-2013 arranca oficialmente este domingo, 26, para Mineiro Aljustrelense, FC Castrense e Vasco da Gama da Vidigueira!
Os jogos da primeira eliminatória da Taça de Portugal estão agendados para as 16h00 e o grande destaque vai para o embate, na vila das minas, entre o Mineiro Aljustrelense e o At. Reguengos, equipa onde pontificam os bejenses João Nabor, Paulo Maurício e Carlos Rato.
Quem também joga em casa são o FC Castrense e o Vasco da Gama, que recebem o Eléctrico de Ponte de Sôr e os Caçadores das Taipas, respectivamente.
Já o Moura AC jogou este sábado em Porto Judeu – Angra do Heroísmo, nos Açores, perdendo por uma bola a zero diante do Barreiro.
Entretanto, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou que vai distribuir cerca de 3.500.000 de euros entre os Clubes participantes na Taça de Portugal em 2012-2013, montante que representa um aumento de cerca de 20% em relação à verba entregue no ano passado.
As verbas, maioritariamente provenientes do acordo de cedência dos direitos de transmissão da “prova-rainha” do futebol português (que vigora até ao fim da época 2013-2014), serão distribuídas de forma diferente, revela fonte da FPF.
"Por exemplo, os clubes participantes na terceira eliminatória vão receber três vezes mais do que recebiam a temporada anterior e, nesta época, ao contrário do que acontecia, vai haver sempre prémio de participação entre a quarta eliminatória e as meias-finais, independentemente de haver ou não transmissão televisiva do respectivo jogo", explica a mesm fonte.
“Tivemos a preocupação de aumentar as verbas para os clubes das competições não profissionais que participem nas primeiras eliminatórias e garantir que os bons resultados obtidos sejam sempre premiados, independentemente de haver ou não transmissão televisiva dos jogos. São verbas que podem não ser muito elevadas quando consideradas individualmente mas que constituem, de certeza, sobretudo nesta altura de grande aperto financeiro, autênticos balões de oxigénio para os clubes com menores recursos e menos fontes de receita. Esta era também uma ambição manifestada pelos nossos sócios e foi um compromisso assumido na campanha eleitoral pelo que me sinto particularmente agradado por aprovar mais esta medida”, acrescenta o presidente da FPF, Fernando Gomes.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima