Intercidades: Cidadãos de Beja não aceitam posição da CP e querem falar com Presidente da República

Intercidades: Cidadãos de Beja não aceitam posição da CP e querem falar com Presidente da República

A Associação de Defesa do Património de Beja acusa a CP de “intransigência” em relação às suas intenções para as ligações ferroviárias a Beja e anunciou que vai pedir audiências ao Governo e ao Presidente da República.
“A CP está intransigente, não recua e mantém a sua posição por uma suposta questão de racionalidade”, disse Jorge Serafim, do grupo de cidadãos criado pela Associação de Defesa do Património de Beja para contestar as intenções da CP relativas às ligações ferroviárias a Beja.
Jorge Serafim falava após uma delegação do grupo ter reunido com a administração da CP, que, disse, “mantém a intenção de acabar com as ligações directas” via comboio Intercidades entre Beja e Lisboa, que passarão a ser feitas através de automotora diesel entre Beja e Casa Branca, onde será feito transbordo para comboio eléctrico até à capital.
“Achamos que devemos ter ligações directas” via Intercidades até Lisboa, “não tanto pelo transtorno do transbordo, mas mais pelo peso que a região quer ter no país e face ao que se preconiza em termos de desenvolvimento”, disse Jorge Serafim.
Perante a “intransigência da CP”, disse, o grupo vai pedir audiências ao ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, e ao Presidente da República, Cavaco Silva.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima