EMAS Beja sensibiliza para participação pública

EMAS Beja sensibiliza

Estimular a participação e integrar a comunidade na vida pública, através da apresentação de projectos, de ideias inovadoras e de soluções a implementar no concelho de Beja: são estas, em linhas gerais, as grandes metas da iPP-Iniciativa de Participação Pública, a nova aposta da Empresa Municipal de Água e Saneamento (EMAS) de Beja na área da Educação e da Sensibilização Ambiental.
O projecto da iPP, apresentado à população durante a feira “Patrimónios do Sul”, decorre da preocupação da EMAS em assumir “um papel preponderante na construção de uma sociedade mais consciente e ambientalmente responsável, através da aposta na educação e sensibilização ambiental”, como explica o administrador-executivo da empresa.
De acordo com Rui Marreiros, a iPP visa, por isso mesmo, “fomentar o envolvimento de toda a comunidade nos processos de transformação e decisão face à actual conjuntura, que apresenta enormes desafios, como são as Alterações Climáticas, a Economia Circular ou o Uso Eficiente da Água, para os quais devemos em conjunto adoptar as melhores práticas e soluções inovadoras, que garantam a sustentabilidade dos recursos naturais”.
Neste contexto, continua o administrador da EMAS, “a iPP pretende estimular a participação e integrar a comunidade na vida pública, apresentando projectos, ideias inovadoras e soluções a implementar no concelho de Beja, que tenham impacto significativo na comunidade onde se inserem e no meio ambiente”.
Na prática, através da iPP, a EMAS de Beja irá “reforçar o quadro de participação e envolvimento da comunidade, ampliando claramente a abrangência de públicos”, através de uma “nova frente” de trabalho na área de Educação Ambiental junto dos clubes e das associações desportivas, com actividades para os mais novos.
Paralelamente, continua Rui Marreiros, a empresa irá “também apresentar propostas de intervenções a implementar na cidade e nas freguesias rurais do concelho de Beja, sendo que a última palavra pelo método de votação será da comunidade”. “Teremos três categorias: a iPP – Escolas, em que as propostas são desenvolvidas pela comunidade escolar, a iPP – Desporto, em que as propostas são desenvolvidas por clubes e associações desportivas, e a iPP – Comunidade, com propostas definidas pela EMAS para a comunidade em geral, a implementar na cidade em nas freguesias rurais”, acrescenta.
Nesta última, a EMAS irá implementar dois projectos. Para a cidade a empresa vai colocar à votação cinco projectos (“Água para todos”, “Spot da Água”, “Casa Ecológica”, “Água em marcha” e “Espaço Lazer”), implementando o mais votado. E na freguesia rural que for mais votada, a EMAS instalará um espaço de lazer.
O administrador da EMAS observa que o investimento da EMAS de Beja na iPP, “quando comparado com as problemáticas ambientais que afectam o nosso território, poderá ser definido como residual”, adiantando que esta nova abordagem irá decorrer ao longo do ano lectivo de 2019-2020.
Com tudo isto, Rui Marreiros espera que a iPP, que é “fruto” da iniciativa-piloto “Mini-Orçamento Participativo”, possa “proporcionar a toda a comunidade a oportunidade de se envolver nos processos de decisão”.
“Expectamos que esta iniciativa irá também ser um sucesso e tornar-se uma referência de boas práticas no que concerne a estratégias integradas em políticas públicas para o ambiente, reforçando assim o posicionamento e compromisso da EMAS com as questões inerentes ao desenvolvimento sustentável da região”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima