Documentário sobre o cante alentejano estreia a 18 de Setembro

Documentário sobre o cante

O documentário de Sérgio Tréfaut sobre o cante alentejano, intitulado “Alentejo, Alentejo”, estreia-se a 18 de Setembro em salas de cinema de Lisboa, Porto e Almada.
O documentário insere-se no projecto de candidatura do Cante a Património Imaterial da Humanidade e conta com a participação, entre outros, de "Os Camponeses de Pias", os Cantadores da Aldeia Nova de São Bento, do Grupo Coral da Casa do Povo de Serpa e do Grupo Feminino de Alcáçovas, que interpreta “Portugal está na crise”, uma letra contemporânea.
“Alentejo, Alentejo”, que inclui ainda a participação de várias escolas básicas, recebeu o Prémio para o Melhor Filme Português no festival "Indie Lisboa" deste ano.
“Nascido nas tabernas e nos campos, o cante transmitiu-se ao longo de várias gerações. Nas últimas décadas, com a diáspora alentejana, novos grupos surgiram na periferia de Lisboa e em diversos países de emigração. Muitos deles formados por adolescentes e crianças, provando que o cante está vivo e é o traço identitário de toda uma população”, afirma em comunicado a produtora.
“‘Alentejo, Alentejo’ é uma viagem a um modo de expressão musical único e à paixão dos seus intérpretes”, segundo a mesma fonte.
Além dos grupos participantes, como o "Papoilas do Corvo", o filme do realizador nascido no Brasil regista vários depoimentos, como o de Bento Maria Adega, de Safara, no concelho de Moura, que afirma: “Foram cigarras e pássaros que ensinaram os alentejanos a cantar”.
Entre os grupos que se foram formando fora do Alentejo, território de origem do cante, participam, entre outros, "Os Rouxinóis da Damaia" e "Os Bubedanas".
Um dos momentos do documentário é a interpretação do tema popular “Solidão”, por um grupo de cantadores, junto da campa do etno-muiscólogo Michel Giacometti, no cemitério de Peroguarda, Ferreira do Alentejo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima