Deputado do PS contra “fundamentalismo ambiental”

Deputado do PS contra

O deputado do PS eleito por Beja espera que o “fundamentalismo ambiental” não venha a colocar entraves ao alargamento do regadio do Alqueva e à ligação do Roxo à barragem do Monte da Rocha, investimentos que considera estruturantes e fundamentais para “dar futuro à região”.
Em comunicado enviado ao “CA”, Pedro do Carmo lembra que o “Baixo Alentejo sempre viveu num equilíbrio frágil entre a vivência e a sobrevivência”, tendo o Alqueva possibilitado “um renovado impulso de desenvolvimento, de oportunidades e de projecção do território como espaço de futuro”.
“Tem sido bom para as pessoas e bom para o território, pelas dinâmicas existentes, não isentas de riscos”, acrescenta o deputado socialista.
Para Pedro do Carmo, “o projecto de alargamento da área de regadio do Alqueva com novos blocos de rega e a extensão a sul do Baixo Alentejo, com a ligação da barragem do Roxo à barragem do Monte da Rocha, é um investimento vital para as pessoas, para o esforço de fixação da povoação, para a criação de oportunidade de emprego, para a dinamização das economias locais e para a sustentabilidade do abastecimento de água, num quadro de evidentes alterações climáticas”.
“Qualquer entrave ambiental a um projecto tão relevante para as pessoas e para o território do interior e do sul do Baixo Alentejo só pode ser visto como um ataque desproporcionado ao direito que temos em querer viver, trabalhar, estudar e permanecer num espaço com sentido de futuro”, acrescenta o eleito do PS, que remata: “Era só o que faltava que um fundamentalismo ambiental, sem sintonia com a realidade, pudesse colocar obstáculos à concretização de um projecto vital”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima