Universidade de Évora adia homenagem a Veiga Simão

Universidade de Évora adia

A Universidade de Évora adiou a cerimónia de doutoramento Honoris Causa do antigo ministro da Educação Nacional José Veiga Simão, agendada para segunda-feira, 6, devido a “motivos de saúde” do homenageado.
Contactado pela Agência Lusa, o reitor da Universidade de Évora, Carlos Braumann, revela que o doutoramento foi adiado por “motivos de saúde” do homenageado e que “ainda não foi agendada nova data” para a cerimónia.
“A sessão foi adiada para data a definir o mais brevemente possível”, explica também a Universidade de Évora (UÉ), em comunicado enviado à Lusa.
Apontado como “uma referência incontornável da história portuguesa mais recente e uma voz interveniente no mundo” actual, o antigo ministro Veiga Simão devia ser distinguido pela UÉ no dia 6 com o doutoramento Honoris Causa.
Essa cerimónia iria comemorar também os 40 anos da tomada de posse da primeira Comissão Instaladora do Instituto Universitário de Évora, “embrião” do regresso da universidade à cidade alentejana.
A Universidade de Évora foi fundada em 1559, 22 anos depois da Universidade de Coimbra, mas, 200 anos depois, a instituição encerrou, em consequência do decreto de expulsão dos jesuítas.
Só em 1973, por decreto do então ministro da Educação Nacional Veiga Simão, é que foi decidido o regresso do ensino universitário à cidade alentejana, através do Instituto Universitário de Évora.
As aulas recomeçaram a 10 de Novembro de 1975 e, quatro anos depois, surgiu a Universidade de Évora.
Nascido na Guarda, a 13 de Fevereiro de 1929, José Veiga Simão formou-se em Ciências Físico-Químicas na Universidade de Coimbra e doutorou-se em Física Nuclear na Universidade de Cambridge (Inglaterra).
Além de professor catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra, foi reitor da Universidade de Lourenço Marques (actual Universidade Eduardo Mondlane), em Moçambique.
Foi ministro da Educação Nacional (1970-1974), sendo responsável, durante o mandato, pelo Decreto-Lei n.º 402/73 de 11 de Agosto, que ampliou e diversificou a rede de estabelecimentos de Ensino Superior em Portugal.
Essa decisão resultou no que são hoje a Universidade Nova de Lisboa, a Universidade de Aveiro, a Universidade do Minho, a Universidade da Beira Interior, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e a Universidade de Évora.
Regressado à política após o 25 de Abril de 1974, foi embaixador de Portugal nas Nações Unidas, deputado e ministro da Indústria e Energia e da Defesa Nacional até ao final dos anos 90 do século XX, resumiu a academia alentejana.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima