Trabalhadores da Kemet tentam impugnar despedimento

Trabalhadores da Kemet

Cerca de 70 dos 127 trabalhadores da fábrica de Évora da multinacional Kemet Electronics alvo de despedimento colectivo vão recorrer a tribunal para tentar impugnar o processo, revela à Agência Lusa o delegado sindical.
"É a ultima esperança para os trabalhadores recuperarem o seu posto de trabalho", afirma Hugo Fernandes, delegado sindical e dirigente do Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI).
O sindicalista refere que o grupo de trabalhadores está a preparar vários documentos, com o apoio do gabinete jurídico do SIESI, para tentar impugnar o despedimento colectivo no Tribunal do Trabalho de Évora.
O total de trabalhadores a integrar neste pedido de impugnação "ainda não está fechado", segundo Hugo Fernandes, mas deverá rondar as "cerca de 70" pessoas.
Os restantes trabalhadores alvo do despedimento colectivo que não vão recorrer a este procedimento legal aceitaram a compensação financeira atribuída pela multinacional norte-americana.
"Desde hoje que nenhum dos 127 trabalhadores tem ligação à empresa", assinala o sindicalista, indicando que "muitos estavam a gozar férias" e que outros "cumpriram o seu último dia na fábrica".
O dirigente do SIESI salienta que os trabalhadores sentem "mágoa pelo silêncio do Ministério da Economia", entidade à qual solicitaram uma análise do processo.
"A produção simplesmente foi deslocalizada para o México e isso não é motivo para um despedimento colectivo", sublinha, lamentando que, mesmo que o Governo se venha ainda a pronunciar, "já não o vai fazer em tempo útil".
A fábrica de Évora da Kemet Electronics, que passa de 310 para 183 trabalhadores, produz condensadores de tântalo para telemóveis e para a indústria automóvel.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima