Empresa intermunicipal Resialentejo vai investir 5,1 milhões de euros em 2022

A empresa intermunicipal Resialentejo, responsável pelo tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos de oito concelhos do distrito de Beja, vai investir 5,1 milhões de euros em diversos projetos no próximo ano.

Os investimentos previstos integram o orçamento da empresa para 2022, aprovado esta semana, no valor de 6,1 milhões de euros, e têm por objetivo “a redução dos impactos ambientais”, divulgou a Resialentejo em comunicado enviado ao “CA”.

O “reforço do posicionamento da empresa” e a “procura de uma maior sustentabilidade no território do Baixo Alentejo” são as outras metas que a empresa disse pretender alcançar com os investimentos.

Segundo o comunicado, “o desafio da sustentabilidade” e “da procura de soluções para mitigar os impactos das dinâmicas individuais e comunitárias no meio ambiente” é “um combate decisivo para a valorização dos territórios e para a geração de novas oportunidades de futuro”.

“Este é um desafio que deve ser partilhado” e “a Resialentejo reafirma esse compromisso com o Baixo Alentejo”, acrescentou.

Para a empresa, “o investimento de mais de cinco milhões de euros nesse esforço comum” é “um sinal de afirmação desse compromisso e da vontade em ir mais longe no cumprimento das metas ambientais”.

Entre os investimentos previstos para o próximo ano surgem a aquisição de equipamentos de recolha seletiva porta a porta e para o sistema PAYT (Pay-As-You-Throw – Pague Pelo Resíduo que Produz em português) e a expansão da rede de ecopontos.

A conclusão da estação de transferência de recicláveis em Moura, a adaptação tecnológica dos ecocentros existentes e a conclusão da construção da unidade de tratamento de biorresíduos são outros dos investimentos programados.

A empresa anunciou que vai ainda adquirir mais equipamentos de compostagem doméstica e reforçar a rede de biogás, entre outros investimentos.

Em 2022 a Resialentejo vai igualmente avançar com a “selagem parcial” do atual aterro intermunicipal e dar início ao projeto da sua ampliação.

Este investimento, anunciado em primeira mão pelo “CA” em fevereiro deste ano, está avaliado num total de dois milhões de euros.

Prevê-se que a nova célula de deposição e confinamento de resíduos, com capacidade para 1,5 milhões de toneladas, esteja pronta para utilização em 2024.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima