Providência cautelar contra eleições no Lar Jacinto Faleiro

Providência cautelar contra

Os novos órgãos sociais do Lar Jacinto Faleiro ainda não sabem quando tomarão posse devido a uma providência cautelar que contesta o acto eleitoral de 15 de Novembro.
Segundo apurou o “CA” junto de fonte ligada à instituição particular de solidariedade social de Castro Verde, a providência cautelar foi interposta no Tribunal Judicial de Ourique por um associado que integrava a lista que não foi aceite para o acto eleitoral e contesta apenas o ponto referente às eleições na ordem de trabalho da Assembleia Geral realizada a 15 de Novembro de 2013, em que também foi aprovado o orçamento e o plano de actividades da instituição para este ano.
De acordo com a mesma fonte, o associado recorreu da decisão da mesa da Assembleia Geral, que não aceitou a sua lista devido a irregularidades estatutárias, sendo aguardado para “muito breve” o veredicto do juiz sobre esta acção judicial.
Recorde-se que Leandro Gonçalves foi eleito presidente do Lar Jacinto Faleiro no passado dia 15 de Novembro, sucedendo no cargo a António José Paulino.
Para o seu mandato (2014-2016) a grande prioridade será, segundo o próprio, garantir a estabilidade financeira da instituição, assim como dar atenção à qualidade do serviço prestado, aprofundar a cooperação entre colaboradores e direcção, inovar na forma de gestão da instituição, introduzir novas áreas de intervenção e “alargar horizontes”.
Aprofundar as parcerias existentes com os mais diversos agentes da sociedade de Castro Verde e fazer do Lar Jacinto Faleiro um “referencial formativo” ao nível da intervenção social são outras das metas de Leandro Gonçalves.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima