Produtores artísticos do Alentejo criticam duramente o Ministério da Cultura

Produtores artísticos do Alentejo criticam duramente o Ministério da Cultura

Vinte e cinco estruturas culturais e artísticas do Alentejo exigem que o Ministério da Cultura reponha os mais de 135 mil euros retirados à região no âmbito dos apoios às artes para 2011 e 2012. Num comunicado conjunto, as 25 estruturas de produção e criação cultural e artística, 15 do distrito de Évora, cinco do de Beja, três do de Portalegre e duas do de Setúbal, exigem também que “sejam apoiadas” no Alentejo “pelo menos 14 candidaturas”.
Segundo as estruturas, a maioria grupos de teatro, nos termos de abertura do concurso de apoios às artes para 2011 e 2012 anunciou-se que seriam apoiados 14 projectos no Alentejo, num valor total de 700 mil euros.
No entanto, lamentam, o projecto de decisão, divulgado no passado dia 18, propõe para apoio apenas 11 projectos no Alentejo e com uma verba de 564.522.57 euros.
A verba de quase 135.478 euros “em falta” foi transferida “na sua maior parte para a região de Lisboa e Vale do Tejo e em quantias de menor valor para outras regiões do país”, referem as estruturas.
A alteração dos termos de abertura do concurso, frisam, “é inadmissível”, porque “existem no Alentejo sete candidaturas em condições de elegibilidade, que não foram propostas para apoio”, e as que foram apoiadas “sofreram cortes muito significativos em relação a 2010”.
A posição conjunta surge uma semana após o Teatro Fórum de Moura, que integra o grupo das 25 estruturas, ter admitido, a título individual, interpor uma acção em tribunal contra o Ministério da Cultura devido às alterações alegadamente “ilegais” efectuadas aos termos de abertura do concurso de apoios às artes para 2011 e 2012.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima