Performance de malabarismo poético chega a Odemira

A zona ribeirinha de Odemira recebe neste sábado, 23, pelas 16h00, a performance de malabarismo poético “A Grande Errância”, promovida no âmbito do projeto “Lavrar o Mira e a Lagoa – As Artes Além Tejo”.

Produzida pela cooperativa cultural Lavrar o Mar e com financiamento das câmaras de Odemira e de Santiago do Cacém e dos programas Alentejo 2020 e Compete 2020, o espetáculo conta com a participação dos malabaristas Paul Cretin-Sombardier, Thomas Dequidt, Sylvain Pascal, Valentina Santori, Pietro Selva Bonino e Johan Swartvagher.

A composição musical, interpretação e improvisação está a cargo de Alexandre Verbiese, sendo a produção e coordenação de Caroline Sotta, com o apoio técnico de Erwan Sautereau.

“A Grande Errância”, que arrancou no passado dia 9 de Outubro, em Monchique, chega neste sábado, 23, a Odemira e termina, a 30 de Outubro, em Santiago do Cacém.

Segundo a organização, serão “três semanas” e “seis errâncias ‘malabarizadas’” em que seis malabaristas e os seus companheiros de caminhada “revezam-se para levar três massas de malabarismo”.

“Durante mais de uma centena de quilómetros, elas encher-se-ão das paisagens, dos encontros, de lama, de alcatrão e de areia, de rostos e do tempo que percorre os caminhos sinuosos”, acrescenta a mesma fonte.

Segundo a organização, “entre turistas experimentais e aventureiros do momento”, os “performers nómadas” de “A Grande Errância” vão tecer “a tela da narrativa num mapa amachucado para, no fim, encerrar a errância ao entregar-nos um relato de viagem numa cerimónia popular, colectiva e poética”.

Foto: Yu-Lun Chiang

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima