Pedro Xavier define prioridades na AF Beja

Pedro Xavier define

Mais atletas e mais sustentabilidade nos cubes: estes são os objectivos de Pedro Xavier como presidente da Associação de Futebol de Beja (AFB), cargo que vai desempenhar nos próximos quatro anos.
“A maior prioridade é a sustentabilidade dos clubes e o aumento do número de atletas no futebol e futsal”, afirma Pedro Xavier ao “CA”, adiantando ainda que quer “continuar a apostar no desenvolvimento do futebol feminino e realizar cursos de formação de treinadores de grau II para futebol e futsal”.
O novo líder da AFB assinala também a necessidade de “fomentar em conjunto com as autarquias locais a realização de torneios nacionais e internacionais, realizar cursos para dirigentes e massagistas, promover o diálogo e a cooperação com todas as instituições”.
Pedro Xavier deseja ainda “apoiar de forma objectiva o recrutamento de novos árbitros, no sentido de dotar o sector com elementos necessários para o seu funcionamento, aumentando a quantidade e a qualidade” dos árbitros do Baixo Alentejo. Para alcançar estas metas, o dirigente conta com uma equipa onde estão Luís Milhano, Manuel Mestre e Francisco Fernandes como vice-presidentes.
Definidos os objectivos, Pedro Xavier não nega preocupações com o quadro de dificuldades do campeonato distrital de juniores e a crescente “fuga” de clubes para as competições do INATEL em detrimento do futebol federativo.
“O escalão de juniores A é uma preocupação actual. As dificuldades neste escalão existem a nível nacional. No nosso distrito perdemos na transição do escalão de juniores B para os juniores A 53 praticantes”, revela o dirigente, anunciando que, “para contrariar estes dados”, a AFB “ofereceu a isenção de onze quotas de transferências nacionais a todos os clubes que participam no campeonato distrital de juniores A”.
No caso da 2ª divisão distrital, Pedro Xavier reconhece que é outra situação que “preocupa a associação e a FPF, revelando que têm havido reuniões no sentido de as duas entidades “chegarem a um acordo na interpretação da lei de bases da actividade física e do desporto”.
“A AFB promoveu como medida oferecer a isenção do pagamento de 20 quotas de transferências nacionais, bem como a atribuição de cinco bolas de futebol de 11 aos clubes que não tiveram actividade no âmbito da associação na época anterior”, revela Pedro Xavier, anunciando que, para tentar superar este problema, pretende “continuar a realizar reuniões com os clubes que ainda não são filiados” na AFB.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima