Ministro da Educação participa em seminário no Politécnico de Beja

Ministro da Educação participa em seminário no Politécnico de Beja

O ministro da Educação, Nuno Crato, vai marcar presença na sessão de abertura do seminário “O Impacto das Instituições de Ensino Superior Politécnico nas Cidades de Média Dimensão”, que o Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) promove esta quarta-feira, 11, durante todo o dia, no seu <i>campus</i>.
De acordo com fonte oficial do IPBeja, a iniciativa visa “contribuir para a discussão, devidamente enquadrada por referenciais europeus, sobre a racionalização e a sustentabilidade” da actual rede de instituições de ensino superior politécnico (IESP) em Portugal, num debate que terá intervenções de académicos europeus e dos presidentes dos politécnicos de Bragança, Castelo Branco, Guarda, Portalegre, Tomar e Viseu.
“Importa analisar o papel que a actual rede de IESP tem vindo a desempenhar no combate à tendência de litoralização do país e em prol do desenvolvimento integral do território português, muito em especial nas cidades de média dimensão situadas em territórios de baixa-densidade ou relativamente periféricos”, sublinha a mesma fonte.
Por isso mesmo, adianta, entre os objectivos do seminário estão a vontade de “contribuir para disseminar o papel das instituições de ensino superior politécnico enquanto instituições indutoras de inovação e do desenvolvimento socioeconómico do interior do país ou das regiões mais periféricas” e motivar a reflexão “sobre o modelo de financiamento do ensino superior e o custo-benefício do ensino superior politécnico instalado em cidades de média dimensão”.
A sessão de encerramento do seminário decorrerá ao final da tarde, com as presenças do secretário de Estado do Ensino Superior, João Queiró, e do presidente do IPBeja, Vito Carioca.
Entretanto, depois de participar no seminário do IPBeja, o ministro Nuno Crato vai aproveitar a sua passagem por Beja para iniciar a série de reuniões com os directores de escolas de todo o país para discutir a proposta governamental de revisão curricular do ensino básico e secundário.
Recorde-se que a proposta de revisão curricular apresentada por Nuno Crato reduz a carga horária na maior parte dos anos, cortando em disciplinas como Formação Cívica e acabando com a segunda opção anual no secundário.
Por oposição, saem “reforçadas” neste propostas as disciplinas de História, Geografia, Inglês e Ciências.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima