João Moura regressa às arenas em Évora

João Moura regressa

O cavaleiro tauromáquico João Moura, que em Maio sofreu um traumatismo crânio encefálico devido a uma queda de um cavalo, em Monforte, vai reaparecer nas arenas esta sexta-feira, 11, durante uma corrida de toiros em Évora.
“Eu vou reaparecer em Évora, já me sinto bem e estou completamente restabelecido”, diz o toureiro, em declarações à Agência Lusa.
“Foi um período difícil, não gosto de estar parado, não é o meu hábito, mas tive que recuperar pois não me sentia bem. Agora já me sinto em condições e pronto para voltar e triunfar”, sublinha.
Lembrando que ao longo da sua carreira sofreu por “várias vezes” quedas a cavalo, João Moura, de 54 anos, diz que não se recorda como foi a queda que ocorreu no dia 22 de maio, na sua quinta, em Monforte.
Após a queda, o toureiro foi socorrido e transportado ao hospital de Portalegre, onde lhe foi diagnosticado um traumatismo crânio encefálico, com perda de conhecimento.
Na unidade de saúde, onde já chegou consciente e estável, foi feita uma Tomografia Axial Computorizada (TAC), na qual lhe foi diagnosticado “um pequeno foco de contusão hemorrágico à esquerda", indica na altura à Lusa fonte hospitalar.
Após realizar exames, o toureiro foi transferido de Portalegre, por ambulância, para o Hospital São Francisco Xavier e, posteriormente, para o Hospital de Egas Moniz, ambos em Lisboa.
João Moura recebeu, depois, alta hospitalar no dia 26 de Maio.
João Moura tomou a alternativa em 1978, na praça de toiros de Santarém, sendo considerado pelos aficionados o toureiro português de maior relevo na história da tauromaquia nacional, conquistando além-fronteiras, sobretudo em Espanha, "grande notoriedade" ao abrir por nove vezes a porta grande da principal praça de toiros do mundo, Las Ventas (Madrid).
Após o período de recuperação, o toureiro vai reaparecer esta sexta-feira, a partir das 22h00, na Arena d´Évora, numa corrida de homenagem a Mestre João Núncio, onde actuam também os cavaleiros António Ribeiro Telles, Francisco Núncio, Manuel Lupi, Francisco Núncio (filho) e António Núncio.
As pegas vão estar a cargo dos Forcados Amadores de Évora e de Moura, sendo lidados toiros de Branco Núncio.
O "maior desafio" que João Moura diz ter pela frente neste regresso às arenas vai ocorrer no dia 17 deste mês, no Campo Pequeno, onde o seu filho, Miguel Moura, vai tomar a alternativa.
João Moura será o padrinho da cerimónia de alternativa e como testemunhas vão estar os cavaleiros Joaquim Bastinhas e Marcos Tenório “Bastinhas Jr.”, cabendo as pegas aos toiros de Maria Guiomar Cortes de Moura aos Amadores de Portalegre, Monforte e Académicos de Elvas.
“Essa é uma das minhas grandes metas e para o meu filho Miguel. Vai ser uma noite importante para as nossas carreiras e esperamos que seja uma noite para não esquecer”, declara o toureiro.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima