Investigação: Carne de porco de raça alentejana mais saudável que a dos outros animais

Investigação: Carne de porco de raça alentejana mais saudável que a dos outros animais

A carne de porco de raça alentejana, considerada única no mundo, possui uma gordura pouco saturada e é rica em ácido oleico, sendo mais saudável do que as carnes de outros animais, defendeu um especialista.
“O azeite é a melhor gordura porque é muito rica em ácido oleico e a segunda melhor é a do porco alentejano, quando este é engordado com bolota”, frisou à Agência Lusa José Tirapicos Nunes, professor da Universidade de Évora.
De acordo com José Tirapicos Nunes, a gordura do porco alentejano tem 57 por cento de ácido oleico, já que a bolota, que lhe serve de alimentação, tal como a azeitona, são muito ricas nesse mesmo ácido gordo monoinsaturado, considerado o melhor tipo de gordura.
“Não sendo uma gordura saturada, não causa aqueles problemas ligados ao colesterol e ao fibrinogénio”, adiantou o investigador, considerando que “é errado” pensar-se que “toda a carne com gordura faz mal”.
José Tirapicos Nunes salientou que “a gordura do porco de raça alentejana é a menos saturada”, sendo, por isso, mais saudável do que a carne de outros animais, como vaca, borrego e também o frango, se não lhe for tirada a pele.
“Do ponto de vista da qualidade da gordura, a carne de porco é, sem dúvida, a melhor. Mesmo o porco branco é melhor do que qualquer outra carne”, sublinhou.
Por isso, disse, “se a carne de porco for comida com moderação e regularidade, está mais do que provado que é uma gordura bastante saudável”.
Apesar de ser muito semelhante ao porco ibérico, o porco de raça alentejana “tem características únicas no mundo”, sobretudo devido à sua alimentação, à base de bolota e ervas que “têm muitos antioxidantes”, disse o professor da Universidade de Évora.
Por outro lado, o porco alentejano “consome recursos naturais que são renováveis” e “fica menos dependente do exterior, porque não é necessário importar grandes quantidades de matérias-primas”, acrescentou.
Segundo o investigador, a produção de porco alentejano “concentra-se no Alentejo”, sendo que, actualmente, “existem 400 criadores” desta raça e o efectivo de reprodutores é de 12 mil animais.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima