Francisco Orelha garante que Câmara de Cuba "tem contas equilibradas"

Francisco Orelha garante que Câmara de Cuba "tem contas equilibradas"

Em 2012 a Câmara de Cuba vai ter um orçamento de quase 6,4 milhões de euros, menos um milhão de euros que no último ano.
Mesmo assim, o autarca Francisco Orelha estima em entrevista à edição desta semana do “CA” que os próximos 12 meses sejam de muitas obras a avançar no concelho e garante que, ao contrário do que afirma a oposição, a autarquia cubense tem as suas contas estabilizadas.
“Temos dificuldades como todas as câmaras têm, mas felizmente ainda estamos numa situação que considero razoável”, sublinha o eleito socialista.

<b>Qual vai ser o orçamento da Câmara de Cuba para 2012?</b>
O valor este ano é de 6.398.954,00 euros. Há uma redução em relação a 2011 de quase 14% devido aos cortes do Orçamento do Estado. E houve uma redução de aproximadamente 20% nas receitas do IMT, do IMI e da Derrama, o que é complicado para um Município pequeno como o nosso e com as dificuldades inerentes à situação de crise. Vamos ver o que é possível fazer.

<b>Quais serão as prioridades da autarquia no novo ano?</b>
Os investimentos mais relevantes passam por dar continuidade à construção do Parque Empresarial, que está avaliado em cerca de dois milhões de euros e inclui também as acessibilidades que ligam uma estrada municipal à EN 387, que depois faz ligação a uma estrada que dá acesso ao aeroporto de Beja. E há outros projectos menos relevantes, que têm que ver com regeneração urbana, nomeadamente a construção de uma passagem pedonal na EN 258 e a requalificação urbana na zona do Parque Manuel António de Castro, que inclui uma conduta de águas pluviais. Depois temos o projecto da Casa Fialho de Almeida, onde queremos avançar com um projecto para recuperar a habitação, criando um centro de leitura e um espaço museológico com o espólio do escritor. Há ainda um projecto que tem que ver com a obra de conservação do Centro Cultural de Cuba. E temos previsto a construção de um espaço multiusos em Vila Ruiva, assim como estamos a pensar avançar com a construção de um canil municipal. São estes os projectos mais relevantes para 2012, o que numa altura de dificuldades e com um decréscimo no orçamento penso ser um pouco arrojado.

<b>LEIA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA NA EDIÇÃO DE 6 DE JANEIRO DO "CORREIO ALENTEJO", JÁ NAS BANCAS</b>

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima