Deputado do PSD faz “reparo” sobre Alqueva ao eurodeputado Capoulas Santos

Deputado do PSD faz “reparo” sobre Alqueva ao eurodeputado Capoulas Santos

O deputado do PSD eleito por Beja considera não ser “correcto” o eurodeputado Capoulas Santos, eleito pelo PS, vir a público “colocar-se como se fosse o único defensor do projecto Alqueva, embora seja justo reconhecer o seu empenhamento neste sentido”.
O reparo de Mário Simões surge num comunicado emitido esta segunda-feira, 2, já depois do antigo ministro da Agricultura ter revelado num semanário nacional que a União Europeia estará disponível para financiar a maior parte dos 500 milhões de euros que faltam para concluir o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, tudo dependendo da aprovação de uma proposta nesse sentido que o eurodeputado socialista apresentou na passada semana aos membros da Comissão de Agricultura no Parlamento Europeu, em Bruxelas.
“O projecto Alqueva é, acima de tudo, resultado do querer dos alentejanos que o reclamaram ao longo de gerações. Ninguém, por mais legitimidade que julgue poder arrogar-se, pode arvorar-se mentor e realizador de um empreendimento com a dimensão de Alqueva”, contrapõe Simões, que lamenta o facto de Capoulas Santos estar a assumir, na sua opinião, um protagonismo “excessivo”.
Nesse sentido, o deputado laranja garante que “não foi só o eurodeputado Capoulas Santos que se movimentou e actuou no sentido de alterar ou anular a disposição da Comissão Europeia a incluir na reforma da PAC que está em curso”, que retira a elegibilidade ao investimento em novos regadios e limita os apoios a projectos que visem uma poupança mínima de 25% no consumo de água.
Simões sustenta que a posição em defesa dos novos regadios, que inclui o sistema Alqueva, “foi reiterada em todos as reuniões dos grupos de trabalho do Conselho para o Desenvolvimento Rural” e que ele próprio também fez “questão de defender os projectos de regadio em causa”, bem como “a alteração da limitação” prevista na proposta de regulamento do Feader.
Tudo isto leva Mário Simões a concluir que “não é correcto o eurodeputado Capoulas Santos colocar-se como se fosse o único defensor do projecto Alqueva”, já que este “não pode nunca ser obra de um homem só, por muito esforçado que seja o seu propósito”.
“Um pouco mais de modéstia não custa nada, até porque não fica bem a um eurodeputado tomar para si uma tarefa que foi e continua a ser executada por responsáveis políticos de diferentes quadrantes, da esquerda à direita”, remata.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima