Covid-19. Odemira e Moura voltam atrás no desconfinamento e Beja mantém-se

Os concelhos de Moura e de Odemira vão voltar às regras da primeira fase de desconfinamento a partir de segunda-feira, 19, enquanto o de Beja vai manter as restrições da segunda fase e os restantes 11 municípios do distrito avançam para a terceira fase, anunciou ontem o primeiro-ministro.

António Costa justificou o “passo atrás” de Moura e Odemira no processo de desconfinamento com o facto de ambos os concelhos apresentarem mais de 240 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes.

Uma decisão que, entre outras, vai obrigar ao fecho de esplanadas e das lojas até 200 metros quadrados e que o presidente da Câmara de Moura contesta, considerando que a atual fórmula de cálculo da incidência de novos casos “é altamente prejudicial para os municípios menos populosos”.

“Hoje temos 17 casos ativos, as cadeias de transmissão estão todas identificadas e controladas. Somos o município que mais testa a nível nacional, mas o que é certo é que os números têm vindo a baixar paulatinamente e isso não conta para nada na fórmula de cálculo que criaram”, vincou Álvaro Azedo citado pela Agência Lusa.

Já Beja e mais seis concelhos vão manter-se na segunda fase de desconfinamento a partir de segunda-feira, 19, por terem mais de 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Uma contagem que o presidente da Câmara de Beja refuta e que vai contestar junto do Governo e da DGS.

Segundo adianta Paulo Arsénio, citado pela Lusa, a DGS vai ter de explicar “onde é que foi buscar este número que, de facto, vai muito para além dos novos casos [de covid-19] que foram comunicados à Câmara Municipal de Beja nos últimos 14 dias”.

Segundo os cálculos do autarca, Beja teve uma incidência de “101 casos por 100 mil habitantes” entre os dias 1 e 14 de abril, pelo que, “do ponto de vista matemático”, está abaixo do limite de 120 casos por 100 mil habitantes.

“Mas há mais: não temos ninguém de Beja internado no hospital neste momento e não temos nenhum surto no concelho, onde existem apenas 24 casos ativos. As cadeias epidemiológicas estão todas identificadas. Não faz sentido” excluir o concelho da próxima fase de desconfinamento, insiste Paulo Arsénio.

Quanto aos restantes concelhos do distrito de Beja – Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Barrancos, Castro Verde, Ferreira do Alentejo, Mértola, Ourique, Serpa e Vidigueira – avançam, na segunda-feira, 19, para a terceira fase do processo de desconfinamento, que já prevê a abertura de restaurantes, cafés e pastelarias no seu interior, com um máximo de quatro pessoas por mesa, e de todas as lojas e centros comerciais, cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos.

Regressam igualmente as modalidades desportivas de médio risco e a atividade física ao ar livre até seis pessoas, e são permitidos eventos exteriores com diminuição de lotação e casamentos e batizados com 25% da respetiva capacidade de acolhimento.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima