Congresso em Odemira debate modelos de gestão nos territórios de baixa densidade

Congresso em Odemira debate modelos de gestão nos territórios de baixa densidade

Desafio principal: encontrar pistas para a gerir e governar territórios onde há pouca população, como o Alentejo! Este é o “mote” do Congresso Regional Baixo Alentejo, que decorre nesta sexta-feira e sábado, dias 28 e 29, na vila de Odemira.
Organizado pela autarquia local, no cine-teatro Camacho Costa, o debate segue uma linha condutora: “O Desenvolvimento Sustentável nos Territórios de Baixa Densidade”.
Com apoios da Universidade de Évora, do Instituto Politécnico de Beja e do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade, o objectivo do evento é, segundo explicou ao “CA” o vice-presidente da Câmara de Odemira, Hélder Guerreiro, “reflectir sobre os territórios que, do ponto de vista factual e na realidade são de baixas densidades”.
O autarca socialista mostra-se confiante que, a partir das reflexões de dezenas de participantes, seja possível encontrar “pistas concretas para o que será o futuro” de territórios pouco habitados e, por outro lado, seja possível enquadrar essa perspectiva no âmbito de um “desenvolvimento inteligente”.
A ministra da Agricultura e do Ordenamento do Território, Assunção Cristas, e o chefe de gabinete do ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, estão convidados para o debate que, segundo adiantou a Câmara de Odemira, vai assentar em dois eixos distintos, procurando conciliar aquilo que é a mera teoria académica com o que está já implementado no terreno.
“Nas conferências de enquadramento, na parte da manhã, temos pessoas com experiências variadas e com olhares diferentes, muitos académicos até, sobre estas questões. E nas tardes temos os casos práticos de experiências e estudos, que podem enriquecer os debates”, frisa.
Assim, no primeiro eixo a discussão abordará a articulação da tradição, inovação e integração social enquanto “alavancas para um modelo de desenvolvimento sustentável”, ao passo que no segundo eixo serão avaliados os possíveis “modelos de governação a promover no futuro para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo no Baixo Alentejo”.
Temas que levarão para o centro do debate figuras como Samuel Thirion (administrador do Conselho da Europa), Rogério Roque Amaro (Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local), Rui Nuno Baleiras (docente da Universidade do Minho e antigo secretário de Estado do Desenvolvimento Regional) ou Stefano Stortone (da Rede Italiana de Municípios).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima