Uma OPA à corrupção

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Carlos Monteverde

Dizem os sábios que o melhor neste país é estar caladinho.
O sr. Presidente da República já tinha pedido um melhor esclarecimento aos portugueses sobre o rumo da Saúde e sobre os escandalosos vencimentos de alguns gestores públicos. E o bastonário dos advogados voltou a chamar a atenção para o inimputável fenómeno da corrupção.
Intervenções logo atacadas pelos novos agiotas do regíme, para quem interessa que continue tudo na mesma, não vão os seus privilégios desaparecer. E foi ver o prof. Marcelo, de quem os portugueses vão estando fartos, o dr. Pacheco Pereira e o dr. Lobo Xavier a criticarem indirectamente o Presidente da República e a pedirem ao dr. Marinho Pinto que indique factos e nomes. Melhor fora que divulgassem aos portugueses quanto é que as televisões lhes pagam por aqueles minutos em que vão debitar umas patetices, para percebermos melhor as preocupações do Presidente da República e do sr. bastonário.
É que eles se calhar não sabem que afinal o processo do “Apito Dourado” parece não ir para a frente, por erros processuais…
Eles se calhar não sabem que o processo “Casa Pia” nunca mais vai ter fim. E quando tiver, será para indemnizar algumas das figuras públicas, afinal presas indevidamente e sem nada a ver com o caso…
Eles se calhar não sabem que o grotesco presidente regional da Madeira, autor de constantes insultos contra os políticos de Lisboa e instituições da República, vai ser indemnizado por ordem do Tribunal, porque alguém da oposição na Madeira insultou o senhor…
Eles se calhar não sabem que o S. Pinto da Costa, que saiu do país quando ia ser chamado a depôr em tribunal, e foi lá depois com “seguranças privados” das claques portistas, queria uma indemnização do Estado por ser “injustamente” detido…
Eles se calhar não sabem que o dr. Paulo Portas, na noite em que saiu do Ministério da Defesa, tirou milhares de fotocópias de documentos oficiais, sem o poder fazer, pagas por todos nós e impunemente…
Eles se calhar não sabem que na mesma noite, e noutro Ministério, o patusco Telmo Correia assinava 300 despachos como ministro demitido do Turismo, quando nos dias anteriores não tinha assinado nenhum, e com força de Lei…
Eles se calhar não sabem que um ex-ministro das Obras Públicas disse não ter problemas morais em ir para administrador da Lusoponte, apesar de existir legislação a apontar com clareza, incompatibilidades…
Eles se calhar não sabem que o vereador Bexiga, da Câmara de Gondomar, selvaticamente agredido no Porto, viu a sua queixa arquivada, provavelmente por erros de investigação, na noite da cobarde agressão…
Eles se calhar não sabem que o sr. Scolari continua a ganhar 2000.000 euros por mês para treinar uma selecção que continua a fazer as figuras tristes do costume, para dar uns socos nos jogadores adversários, e para ser mal educado nas conferências de imprensa com os jornalistas portugueses… Claro que o cavalheiro já disse que quer continuar a treinar a selecção portuguesa. Alguém duvida que vai continuar a mamar na teta?…
Eles se calhar não sabem que este país construiu 10 estádios de futebol para organizar um campeonato europeu e saciar os nossos construtores civis, gastando como de costume uns bons milhões de euros a mais que o inicialmente previsto…
Eles se calhar não sabem que outro patusco, o sr. Madaíl do cabelo cor de cenoura, quer organizar com a Espanha outro campeonato, desta vez do mundo, para rentabilizar aqueles estádios…
Eles se calhar não sabem muitas mais coisas que estas, mas todos nós sabemos que estamos fartos do que vemos e que temos de dizer como disse o Presidente da República ao sr Madaíl. Há neste país outras prioridades. E a primeira é dar força àqueles que ainda têm a coragem de dizer aquilo que toda a gente sabe e vê, mas que os mesmo do costume, e infelizmente cada vez mais seguidores, fingem não saber e fingem não ver.
O país que paga uns milhares de euros mensais à Júlia Pinheiro para dar uns gritos na televisão não quer certamente resolver estas coisas. Mas há com certeza outro país que trabalha e que paga impostos, que vota maioritariamente nos partidos em que acredita, que quer ver esclarecidas e julgadas todas estas coisas. O dever cívico de votar é mandatar a classe política para erradicar, e não engrossar, o polvo da corrupção.
O dr. Mário Soares, que eu apoiei publicamente para a Presidência da República, escreveu recentemente um notável artigo de opinião sobre o fracasso financeiro das políticas neoliberais, hoje predominantes nos EUA e na Europa dos 27. Como diz, agravaram o fosso entre pobres e ricos, agravaram o desemprego e criaram fortunas obscenas e fraudulentas, que escondem uma corrupção cada vez mais alargada. O velho leão da política dá o exemplo e mostra-nos que ao contrário do que os sábios dizem, tem de valer a pena não estar calado neste país. Podemos falar e podemos escrever. Vamos fazê-lo cada vez mais, para que a opinião pública faça ver aos poderosos deste país e aos seus advogados que a democracia que continuamos a defender tem mais virtudes que defeitos, que o crime não compensa mesmo, e que este país não está definitivamente condenado a que a culpa morra sempre solteira. O bastonário Marinho Pinto tem de sentir que o prato da balança em que está não vai ceder ao outro prato onde abundam os Isaltinos, Valentins Loureiros e Fátimas Felgueiras.

Sobre o rumo da saúde que o Presidente da República questionou, tivemos a boa nova da demissão do ministro Correia de Campos e duma senhora chamada Pignatelli. Falarei da Saúde da próxima vez.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima