Três bons exemplos

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Jorge Pulido Valente

A ocorrência em Beja, na semana passada, de três acontecimentos que, provavelmente, passaram, entre muitos outros, despercebidos a grande parte da nossa população, motivaram o tema desta minha crónica. Foram eles, por ordem cronológica: a reunião da assembleia geral do Centro de Biotecnologia do Alentejo (Cebal), a festa de Natal do Conservatório Regional do Baixo Alentejo e o Concerto para o Natal do Coro de Câmara de Beja.
Certamente que muitos, perante o facto de não ser a primeira vez que os mesmos tiveram lugar, se interrogarão sobre quais as razões que me motivaram a escrever sobre eles. A resposta está não tanto na dimensão e qualidade dos eventos/acontecimentos, mas sim nos seus principais protagonistas e no que eles simbolizam e representam para a cidade, município e região.
Comecemos pela reunião magna do Cebal, que aprovou o Plano de Actividades e Orçamento para 2012,com valores superiores a um milhão de euros.
Estamos a falar de um projecto de investigação concebido e concretizado pelo prof. Lopes Batista (aposentado da Universidade de Aveiro) tendo em vista a criação de um centro de biotecnologia que reunisse em Beja um conjunto de cientistas doutorados ou em processo de doutoramento, que trabalhassem em áreas de conhecimento fundamentais para o desenvolvimento da região.
Cinco anos depois do seu nascimento, graças a uma equipa jovem e motivada que o professor soube reunir e orientar, o Centro desenvolve um importante programa de investigação que inclui, nomeadamente, desde as propriedades do cardo no tratamento do cancro da mama até ao genoma do sobreiro, passando pela tecnologia de membranas aplicada ao tratamento de águas residuais e às potencialidades e aplicações das estevas e outras plantas autóctones. São já quase duas dezenas os investigadores, na maioria vindos de outros pontos do país, que se fixaram em Beja, com as respectivas famílias, para produzirem o conhecimento e a inovação indispensáveis à modernização e competitividade das empresas da região.
Há aqui que reter, salientar e valorizar o excelente exemplo deste homem, que após uma longa e reconhecida carreira profissional, em vez de ficar inactivo a gozar a merecida reforma, decidiu lançar-se na concretização da sua visão estratégica, em regime de completo voluntariado (às vezes até investindo do seu bolso), apenas com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento do Alentejo.
Outro grande homem, infelizmente já falecido, o dr. Henriques Pinheiro, foi responsável, também apenas por espírito de serviço público e de cidadania activa, pelo nascimento e crescimento de outra instituição regional de enorme importância: o Conservatório Regional do Baixo Alentejo. Esta academia de artes presenteou-nos com um magnífico espectáculo de Natal que honrou da melhor forma a memória do seu fundador e é motivo de orgulho para a cidade, o concelho e a região.
Mais do que a um sarau académico assistimos a um espectáculo artístico verdadeiramente profissional.
Finalmente, não poderíamos deixar de falar do maestro dr. Pedro Vasconcelos e do seu Coro de Câmara, que comemora este ano o trigésimo aniversário. Trinta anos a trabalhar em prol da música e da cultura sem nada receber em troca a não ser a satisfação e realização pessoal, é obra!
Na festa de comemoração, que se realizou no último sábado no Pax Julia, ofereceu mais uma magnífica prenda à cidade, realizando um concerto de grande nível (como é seu apanágio) que confirmou a qualidade, já internacional e internacionalizada, do Coro e a vitalidade da instituição bejense.
Três homens que deveriam servir-nos de exemplo e a quem a cidade, o concelho e a região serão sempre devedores de reconhecimento, gratidão e admiração!
Bem hajam!
Bom Natal e um Novo Ano cheio de saúde e felicidade (que dizem não depender do dinheiro que não iremos ter).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima