“Mea Culpa”

Quinta-feira, 17 Setembro, 2020

Jorge Pulido Valente

“Mea culpa” por, nestes dois primeiros anos de mandato, ter dado toda a atenção à melhoria da actividade da Câmara e à resolução dos seus problemas e descurado a componente da comunicação dessa mesma acção, reconhecendo que essa opção possa ter levado à falta de informação por parte das pessoas relativamente ao imenso trabalho já realizado. Na verdade, neste período preocupei-me sobretudo em concentrarmos mais os nossos esforços, a nossa energia e o nosso trabalho na implementação dos pilares do programa Beja Capital, base do compromisso que estabelecemos com as populações que nos elegeram.
Entretanto, a oposição fez precisamente o inverso, isto é, em vez de canalizar preferencialmente a sua acção para a apresentação de propostas para ajudar a resolver os graves problemas que enfrentamos (muitos deles herança da má gestão nos anteriores mandatos) dedicou-se exclusivamente a uma estratégia de comunicação assente numa política de terra queimada e do quanto pior melhor.
Reconheço que não é suficiente fazer, porque é preciso também mostrar e informar as pessoas do que se fez. Na verdade, a reacção de reconhecimento do intenso e efectivo trabalho que já fizemos, por parte das pessoas que têm assistido às sessões que realizámos para apresentar o balanço destes dois anos de mandato, comprova isso mesmo.
Vejamos então, resumidamente, numa avaliação do programa eleitoral sufragado, o que já foi feito.
Em termos de gestão e funcionamento a Câmara Municipal de Beja nada tem a ver, hoje, com a estrutura antiquada, desorganizada, enormemente burocratizada que herdámos.
Com o objectivo de tornar os serviços municipais mais eficientes e eficazes, para melhor servir os munícipes, melhorámos as instalações e as condições de trabalho e atendimento, implementámos uma nova estrutura orgânica devidamente hierarquizada, sistemas de gestão e controle eficazes e rigorosos, processos e procedimentos geridos electronicamente (dispensando o papel), serviços on-line de acesso fácil para o cidadão através de um site que também disponibiliza toda a informação necessária ao acompanhamento da gestão e da intervenção da autarquia.
Ao nível das obras municipais e dos serviços urbanos, através de um esforço de planeamento, de programação e coordenação aumentou-se consideravelmente, apesar da carência de meios, a capacidade e a qualidade da intervenção da câmara.
Em termos de desenvolvimento, a estratégia orientada pelos seis pilares do Beja Capital aposta prioritariamente na aceleração económica e sociocultural.
O aeroporto está a funcionar, constituindo-se já como um factor de dinamização crescente do desenvolvimento regional quer ao nível do turismo quer também das indústrias aeronáuticas.
A nova agricultura tem vindo a alterar positivamente a estrutura sócio económica da região e os seus principais produtos, o vinho e o azeite, têm sido objecto de eventos de promoção que os têm colocado, e a Beja, no mapa de Portugal e do Mundo.
O turismo cresceu significativamente não só em número de visitantes, como também em dias de estadia e mais investimentos hoteleiros estão em curso ou previstos.
No âmbito do BejaEcoPolis avançaram projectos tão decisivos como o Edifício Sustentável, as unidades de microgeração, os planos de acção para a eficiência energética e para a mobilidade sustentável, as hortas urbanas, os sistemas de aquecimento solar em equipamentos desportivos, as bicicletas de uso público, a renovação da rede de águas de Beja e Beringel, a requalificação da Ciclovia.
As obras de renovação urbana nas Portas de Mértola e na Mouraria estão em curso, a 1ª fase da recuperação e melhoria do Jardim Publico está concluída, foram feitas intervenções nos arruamentos das Neves e Salvada, a estrada entre Beringel e Mombeja foi totalmente requalificada.
No âmbito social, concluiu-se o Centro de Santa Vitória, assinaram-se os contratos de responsabilidade social, aumentaram os beneficiários (60%) e os benefícios do cartão sénior, apoiou-se a construção de equipamentos da CERCI, Cáritas, Cruz Vermelha, estão em processo de recuperação seis imóveis de habitação social, cederam-se instalações para todas as IPSS que as solicitaram e em parceria com os membros da Rede Social realizaram-se regularmente actividades de dinamização para os idosos.
A construção e equipamento dos três novos centros educativos concluiu a reorganização da rede escolar.
Dinamizados e coordenados pela Câmara, avançaram os projectos da Rede de Laboratórios de Beja e do CEBAL, instrumentos que são, em conjunto com o Sistema Regional de Transferência de Tecnologia, as bases da I&D da região.
Criámos ainda as condições necessárias para uma maior participação das populações através do site da Internet, das reuniões de Câmara descentralizadas para as freguesias rurais, das discussões públicas de projectos e da consulta periódica aos grupos políticos da Assembleia Municipal e aos vereadores da oposição.
Finalmente, das 12 medidas urgentes que apresentámos, nove estão total ou parcialmente realizadas, duas estão para concretização no curto prazo e uma foi adiada por motivos de falta de financiamento.
Continuaremos a trabalhar com a mesma intensidade, mas certamente que aprendendo com os erros, iremos melhorar e reforçar as nossas acções e instrumentos de comunicação, de modo a que as populações possam ter mais, melhor e mais fácil acesso a toda a informação relativa à nossa actividade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima