Precisamos de boas estradas

Quinta-feira, 4 Agosto, 2016

Carlos Pinto

director do correio alentejo

A requalificação da rede de estradas nacionais que servem o concelho é uma das grandes “batalhas” do presidente da Câmara de Odemira. Como o “CA” lhe conta nesta edição, o mau estado de vias como a EN 120 ou a EN 266 são por demais evidentes e José Alberto Guerreiro garante que não desarmará na reivindicação junto do Governo por obras de beneficiação nestas duas estradas (e outras) essenciais ao município. E fá-lo bem!
Ter acessibilidades em boas condições é essencial em qualquer estratégia de desenvolvimento local, estejamos no litoral ou no interior. Daí que as reclamações feitas pelo autarca odemirense podem estender-se aos quatro cantos do Baixo Alentejo, onde continuamos a encontrar estradas que de nacional só mesmo a classificação, porque quanto ao resto… Veja-se o caso da EN 2 (outrora uma das importantes no país), nomeadamente no troço que liga as vilas de Aljustrel a Castro Verde. Ou da EN 123, entre Ourique e Garvão. Para não falarmos da EN 258, a caminho de Barrancos, que faz a viagem pela raia alentejano
ser um verdadeiro martírio para condutores e viaturas.
É por isso fundamental que a empresa gestora da rede nacional de estradas, a Infra-estruturas de Portugal, coloque em marcha um verdadeiro plano estratégico de requalificação destas vias. E que faça obras com princípio, meio e fim e não se limite apenas a remendar aqui e ali, sem resolver os problemas de fundo. Caso contrário, teremos todos de começar a pensar em comprar viaturas todo-o-terreno.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima