A importância de Neves-Corvo

Quarta-feira, 12 Abril, 2017

Carlos Pinto

director do correio alentejo

Os secretários de Estado da Energia e do Ambiente estiveram esta semana em Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, onde ficaram a conhecer as intenções de investimento da sueco-canadiana Lundin Mining para a duplicação da produção de zinco na mina baixo-alentejana. Um projecto de 250 milhões de euros que, tal como lhe contamos na abertura desta edição do “CA”, poderá estar a funcionar dentro de dois anos e criar cerca de 200 novos postos de trabalho, a juntar às perto de 2.000 pessoas que já trabalham na mina.
Ora é precisamente este último número que queremos destacar. Porque haver no interior do país, cada vez mais despovoado e carente de oportunidades, uma empresa com capacidade para empregar 2.000 trabalhadores é obra! Ainda mais sendo uma empresa que exporta toda a sua produção e cria riqueza local, que desenvolve a sua actividade com consciência ambiental, que está na linha da frente em matéria de boas práticas de segurança e tecnologia, e que tem uma política de responsabilidade social assinalável e a todos os níveis louvável.
É esta a importância de Neves-Corvo para os concelhos da sua área de influência, mas também para a região e para o país. Uma realidade que, incompreensivelmente, nunca mereceu grande atenção para lá do Campo Branco. Talvez por isso se perda tanto tempo em discussão estéreis sobre bons ou maus investimentos a fazer e nunca, em 30 anos, se tenha pensado a sério numa estratégia – fosse no plano da formação de activos ou na prestação de serviços, entre outras áreas – que tirasse partido da existência da maior mina de cobre da Europa (e da mina de Aljustrel) para alavancar o crescimento da região.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Em Destaque

Últimas Notícias

Role para cima