Câmara de Beja rejeita críticas da oposição sobre refeições escolares

Câmara de Beja rejeita críticas da oposição sobre refeições escolares

A Câmara de Beja não vai rescindir o contrato com a empresa Gertal, que começou no início de Fevereiro a servir as refeições das escolas básicas do concelho, como foi reivindicado na quarta-feira, 11, pelos vereadores da oposição.
“Essa questão não se coloca”, garante ao "CA" o vereador José Velez, para quem a oposição tem “de estar mais informada”, “ser mais competente” e actuar no sentido “da defesa dos interesses das escolas e dos alunos”.
Esta posição surge após as críticas dos eleitos da CDU à qualidade da comida servida diariamente a cerca de 600 crianças da maior parte das escolas básicas do concelho.
Os vereadores falam mesmo em situações anómalas, como comida servida tardiamente e fria, mal acondicionada e em quantidade insuficiente, o que também motivou queixas de alguns pais e encarregados de educação.
Na resposta, José Velez reconhece que “houve pequenos problemas no início”, mas que “neste momento já não existem ou estão minimizados”.
Além do mais, vinca o veredor responsável pelo pelouroa da educação na autarquia bejense, os dados recolhidos por uma nutricionista sobre a qualidade e quantidade das refeições apontam para uma avaliação “bastante positiva”.
Ainda assim, os vereadores da CDU exigem a criação de uma comissão de acompanhamento constituída por técnicos da autarquia, professores e representantes dos pais para avaliar “as condições indispensáveis em que o fornecimento de refeições deve ser feito”.
Proposta que José Velez encara como “aproveitamento político”, dado essa comissão ter começado “a funcionar antes de estarem a ser servidas as refeições”.
“Acho que antes das refeições serem servidas já os vereadores da CDU andavam a inventar críticas para ter que as fazer”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima