CM Castro Verde investe na rede de águas da vila

CM Castro Verde investe na rede de águas da vila

A Câmara de Castro Verde considera que a intervenção em curso na Rua Morais Sarmento “é a ‘pedra angular’ de um processo de requalificação muito importante”, conciliando a requalificação urbana com a reabilitação da rede de águas da vila.
A obra, a decorrer desde Janeiro, está avaliada em quase 316 mil euros e vai permitir, por um lado, que a via passe a ter um novo perfil de trânsito, com menos lugares de estacionamento e “privilegiando as pessoas e a circulação pedonal”.
A par disto, e no caso da rede de águas, “a obra requalifica totalmente a conduta central e todos os ramais domiciliários, intervindo, igualmente, na rede de pluviais da parte mais a Sul do arruamento, superando assim um problema antigo para os moradores”.
“Trata-se de problemas identificados há muitos anos e que, desde o início do actual mandato, foram assumidos com clareza para, consequentemente, serem resolvidos e, finalmente, termos uma ‘Rua Nova’ em vários sentidos”, frisa o presidente da autarquia castrense.
António José Brito diz ainda que esta “obra histórica” é “um investimento muito importante” para Castro Verde, “por toda a natureza subjacente ao projecto, mas, igualmente, por ser uma resposta há muitos anos esperada e defendida pela generalidade da população, mas particularmente pelos moradores e comerciantes daquela artéria”.
Além da Rua Morais Sarmento, a Câmara de Castro Verde já concluiu a requalificação da rede na Rua 4 de Junho e em diversos ramais da Avenida António Sérgio, num investimento de 23.468,16 euros. A isto junta-se a execução da empreitada para a redução de perdas e seccionamento da rede (103.384,20 euros), que deve estar concluída em Abril, e a aquisição de meios informáticos associados a esse processo (27.318,86 euros).
“No total, o investimento que já está a ser executado na melhoria da rede de águas de Castro Verde atinge 201.146,79 euros, o que, na nossa óptica, comprova com clareza como, para este executivo, a água é um desafio estratégico que merece todo nosso empenho”, vinca António José Brito.
Em simultâneo com estas intervenções no sistema “em baixa”, está também quase concluída a empreitada que fortalece todo o sistema “em alta” no concelho, desde a albufeira do Monte da Rocha até aos diferentes reservatória do concelho.
De acordo com a autarquia, a obra “visa a significativa melhoria do abastecimento de água a Castro Verde e às sedes de freguesia (Entradas, Santa Bárbara de Padrões e São Marcos da Atabueira) e também a Casével, Geraldos, Rolão, Viseus, Beringelinho, Sete, Lombador e A-do-Corvo”. “A par disso, será executada a remodelação do reservatório elevado de Entradas e do reservatório apoiado de São Marcos da Atabueira”, acrescenta.
“Esta empreitada é gerida pela empresa Águas do Alentejo (AgDA), da qual a Câmara Municipal de Castro Verde é accionista a partir da AMGAP. No total, o investimento global das intervenções referidas atinge mais de 4,4 milhões de euros”, observa António José Brito, concluindo que com este conjunto de intervenções será possível “um avanço muito revelante que permitirá, finalmente, requalificar, em larga medida, a rede de águas da vila e, consequentemente, prestar um serviço público de abastecimento com competência e total qualidade”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima