Câmara de Castro Verde exige reposição do acesso norte a Entradas no IP2

O presidente da Câmara de Castro Verde exige que o acesso norte a Entradas no IP2 seja reposto no sentido Beja-Castro Verde e vai voltar a apresentar essa exigência nesta quinta-feira, 8, na Assembleia da República, em reunião com o presidente em exercício da Comissão Parlamentar de Economia e Infraestruturas, o deputado Pedro Coimbra.

Em declarações ao “CA”, António José Brito frisa que a Câmara Municipal “defende e sempre defendeu que o acesso norte a Entradas, no IP2, seja reposto com urgência”, no sentido de pôr cobro a uma situação lesiva para a população e economia locais.

“Não podemos andar a defender os territórios de baixa densidade e, depois, fazer projetos com régua e esquadro, em gabinete de Lisboa, a prejudicar as pessoas e os territórios, como aconteceu em Entradas”, sublinha.

Segundo o edil castrense, “todo este processo é lamentável” e, apesar do atual executivo não estar em funções “quando a obra foi feita”, sempre defendeu “a urgência desta correção”.

“Não podemos apregoar a necessidade de defender o interior e as populações das aldeias e vilas do interior e depois fazer isto”, afirma António José Brito, acrescentando que a Câmara de Castro Verde “não vai desistir de ver esta situação corrigida em Entradas”.

“Não podemos andar a defender os territórios de baixa densidade e, depois, fazer projetos com régua e esquadro, em gabinete de Lisboa, a prejudicar as pessoas e os territórios, como aconteceu em Entradas.”

António José Brito | presidente da Câmara de Castro Verde

O autarca lembra mesmo que, “desde o inicio deste mandato”, o executivo do PS tem procurado “fazer sentir ao Governo como esta situação é muito negativa” para Entradas, tendo já reunido “com a Infraestruturas de Portugal e a concessionária e, depois, não vendo evolução, com o próprio secretário de Estado das Infraestruturas”.

“Infelizmente sem resultados”, continua António José Brito, garantindo que, ainda assim, a autarquia não vai desistir “de exigir a reposição da entrada norte (no sentido Beja-Castro Verde) na vila de Entradas”, daí a reunião com a Comissão Parlamentar de Economia e Infraestruturas.

“A Câmara de Castro Verde não desistirá de exigir a reposição desse acesso importante porque, tal como está, penaliza muito o comércio, a estação de combustíveis, os restaurantes e é mau para a vila e para toda a população”, afiança.

O autarca diz mesmo ser “vergonhoso que esta situação não seja resolvida”, considerando que “o Governo tem de intervir para ser encontrada uma solução”.

“É em processos como este que temos de passar das palavras aos atos e mostrar que o discurso de defesa do interior não é uma coisa oca! Custa-me acreditar que o Governo não tenha sensibilidade para resolver esta situação. Se for assim, fica clara a minha desilusão”, conclui António José Brito.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima