Câmaras de Aljustrel e de Castro Verde satisfeitas com requalificação da EN2

As câmaras municipais de Aljustrel e de Castro Verde congratularam-se, em conjunto, com a requalificação do troço da Estrada Nacional (EN) 2 que liga os dois concelhos, num investimento de 746 mil euros recentemente concluído pela Infraestruturas de Portugal.

O momento foi assinalado, simbolicamente, pelos presidentes das duas autarquias, Nelson Brito (Aljustrel) e António José Brito (Castro Verde), junto ao quilómetro que faz a transição entre os dois concelhos.

Em comunicado, as duas câmaras municipais lembram que “a obra foi reivindicada pelas duas autarquias durante vários anos, devido às más condições do piso, que apresentava uma deterioração acentuada”, sendo “o resultado de um trabalho conjunto depois de os autarcas terem enviado exposições detalhadas ao ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos”.

Segundo a mesma fonte, Nelson Brito e António José Brito, “ao longo deste tempo, sempre defenderam que o conhecido estado de degradação era inaceitável e que as intervenções necessárias neste troço, nomeadamente entre o Carregueiro e Castro Verde, não eram da sua responsabilidade, nem do domínio de competências das respetivas câmaras”.

Além do mais, recordam, “esta estrada faz ainda a ligação aos dois importantes complexos industriais mineiros da região, nomeadamente à mina de Aljustrel (Almina) e à mina de Neves-Corvo (Somincor), que empregam centenas de pessoas, sendo também esta requalificação importante para dar ainda mais enfâse a este setor estratégico para o desenvolvimento do Alentejo e do país”.

“A EN 2 é ainda utilizada diariamente pelos cidadãos do concelho de Aljustrel para acederem ao Serviço de Urgência, em Castro Verde, mas também por pessoas de ambos os concelhos e de vários outros municípios para chegar a diferentes comércios, sendo um corredor determinante e potenciador do desenvolvimento económico”, acrescentam.

As duas autarquias frisam que a empreitada permitiu “melhorar as condições de circulação e de segurança para dezenas de cidadãos que diariamente precisam de deslocar-se para os seus empregos, mas também para os muitos forasteiros que percorrem esta mítica estrada, transformada também numa importante rota turística, e que atrai cada vez mais visitantes”.

As duas câmaras municipais defendem igualmente que intervenções deste género, “em diversos troços (municipais, regionais e nacionais), nomeadamente no interior do país, deverão continuar a ser uma prioridade, constando dos planos e dos instrumentos financeiros ao dispor do Governo, uma vez que são determinantes para a coesão territorial”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima