Câmara de Grândola com orçamento de 21,3 milhões

Câmara de Grândola com

A Câmara de Grândola vai ter este ano um orçamento de 21,3 milhões de euros, menos 10% do que em 2013, que está “fortemente limitado” por encargos já assumidos e pela dívida do Município.
Segundo a autarquia, que voltou a ser liderada pela CDU desde as eleições autárquicas de 2013, após 12 anos de gestão socialista, o orçamento está “fortemente limitado por encargos e compromissos assumidos e não pagos pelo anterior executivo e pela dívida global do Município”, de cerca de 14 milhões de euros.
No entanto, “apesar de todos os constrangimentos e limitações", o novo executivo municipal "apresenta uma proposta de orçamento realista assente numa estratégia democrática”, frisa a Câmara de Grândola em comunicado enviado à Agência Lusa.
O orçamento para 2014, que ronda os 21,3 milhões de euros, representa uma diminuição de 2,1 milhões em relação ao ano passado, mas “tem por objectivo melhorar a qualidade de vida” da população, argumenta o Município.
Tanto o orçamento como as Grandes Opções do Plano foram aprovados pela Câmara e pela Assembleia Municipal, no final do ano passado, e incidem no desenvolvimento económico e na “necessária cooperação com os agentes empresariais, agricultores, produtores locais e com os pequenos e médios empresários”.
A estratégia do executivo liderado pela CDU passa por incentivar a instalação de novas empresas, o incremento das actividades agrícolas e florestais e a dinamização do comércio tradicional, estando também em vista a instalação de uma plataforma logística.
Está previsto o lançamento dos processos de criação das áreas de reabilitação urbana dos centros históricos de Grândola e de Melides, bem como a revisão do Plano Director Municipal (PDM).
“Apesar da pouca margem para grandes obras”, vão ser realizados alguns melhoramentos em estradas municipais “bastante degradadas” e no serviço de abastecimento de água à localidade de Brejinho de Água.
As preocupações do Município passam também pela melhoria e pelo reforço das respostas sociais para ajudar “os que, com o acentuar da crise, enfrentam mais dificuldades”.
A autarquia tenciona manter a organização de alguns eventos turísticos e desportivos já conhecidos, como a Feira de Agosto, a Feira de Chocolate, a Rota das Tabernas e a Ultra Maratona Atlântica Melides-Tróia.
Por outro lado, pretende retomar algumas iniciativas, entre as quais a Mostra Gastronómica do Concelho, os Jogos Tradicionais e a Feira da Criança.
O apoio aos jovens, nomeadamente através do Fórum da Juventude, e o investimento na “reparação e manutenção do parque escolar” do concelho, são outras das “apostas” do executivo.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima