Bloco de Esquerda de Beja elege nova comissão coordenadora para 2012-2014

Bloco de Esquerda de Beja elege nova comissão coordenadora para 2012-2014

Alberto Matos deve continuar à frente da comissão coordenadora distrital de Beja do Bloco Esquerda (BE) durante o biénio 2012-2014.
As eleições decorrem este domingo, 20, entre as 15h00 e as 18h00 na sede do BE em Beja, decorrendo em simultâneo uma Assembleia Distrital que debaterá e aprovará a versão final do programa de acção apresentado pela única lista que vai a votos.
“Esquerda para vencer a austeridade” é o mote da lista encabeçada pelo dirigente associativo Alberto Matos (de Beja), que conta ainda com a participação dos professores Ana Cristina Ferreira (Almodôvar), Ana Loureiro (Odemira), Constantino Piçarra (Castro Verde) e Gina Mateus (Beja), dos psicólogos Carlos Rodrigues (Serpa), Guida Ascensão (Serpa) e José Pedro Oliveira (Beja), do mineiro Filipe Santos (Almodôvar), do cooperativista agrícola José David (Ourique) e do agente funerário Pedro Gonçalves (Odemira).
No plano de acção proposto para o biénio 2012-2014, o destaque vai para as eleições autárquicas de 2013, onde o BE de Beja pretende “criar condições” para poder concorrer “na maioria dos concelhos e num maior número de freguesias do distrito”.
Nesse âmbito, o programa vinca a importância de “promover a eleição de novas coordenadoras concelhias além da de Beja”.
A concretização da regionalização, a promoção de uma agricultura produtiva de regadio em torno de Alqueva assente em explorações familiares ou cooperativas com um limite máximo de 50 hectares, a revitalização do montado e a salvaguarda dos habitats naturais, a diversificação das culturas e dos processos de produção e expansão das áreas da horto-fruticultura e o apoio à agricultura alternativa e biológica são outras das propostas do BE.
O programa político dos bloquistas defende ainda, entre outros pontos, o combate à “ofensiva corporizada pelos vários PIN previstos para o Alentejo”, a manutenção na esfera do Estado de “recursos estratégicos como a água”, o controlo público sobre dos recursos naturais das minas de Neves-Corvo e de Aljustrel, a rentabilização do aeroporto civil de Beja e a requalificação e electrificação da linha ferroviária entre Casa Branca e Estação de Ourique (Ourique-Gare).

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima