Autárquicas 2021. PSD e CDS com “acordo de cavalheiros” em Beja

As distritais de Beja do PSD e do CDS estabeleceram um “acordo de cavalheiros” visando a coligação dos dois partidos em Beja para as eleições Autárquicas de 2021, revela ao “CA” o presidente da Distrital laranja.

De acordo com Gonçalo Valente, não existe ainda “um acordo escrito, mas sim um acordo de cavalheiros”, em que PSD e CDS acharam “que era benéfico para os dois partidos ir juntos” a votos nas eleições previstas para Setembro ou Outubro deste ano.

“Não só no concelho de Beja, como em boa parte dos concelhos do distrito. Tudo será analisado caso a caso, mas numa fase posterior. Para já, há um acordo de princípio que favorece a duas partes”, revela.

“Da minha, está completamente fora de questão [essa coligação com o Chega], tanto a nível nacional como a nível local.”

Gonçalo Valente | presidente da Distrital de Beja do PSD

Gonçalo Valente admite que este acordo pode ainda ser alargado a outras forças políticas da direita, com uma excepção.

“O Chega não está incluído”, garante Gonçalo Valente, acrescentando: “Da minha, está completamente fora de questão [essa coligação com o Chega], tanto a nível nacional como a nível local”.

Voltando a Beja, o nome do professor Nuno Palma Ferro, antigo presidente da Associação de Patinagem do Alentejo, tem sido o mais falado para liderar a candidatura do PSD/CDS à Câmara Municipal.

Uma candidatura que, para já, o presidente do PSD não confirma… nem desmente.

“É uma hipótese forte que pode vir a ser concretizada. No entanto, o partido tem alguns trâmites estatutários que têm de ser cumpridos e antes dos militantes se pronunciarem nas instâncias próprias não faz sentido qualquer anúncio relativamente ao candidato”, afiança Gonçalo Valente.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima