Autarca de Odemira apresenta queixa na PJ sobre situações que levam migrantes para o concelho

O presidente da Câmara de Odemira já apresentou uma denúncia na Polícia Judiciária (PJ) sobre situações que considera suspeitas e que podem estar na base da existência de “muitos trabalhadores migrantes” neste concelho.

Segundo José Alberto Guerreiro, a queixa à PJ foi apresentada há cerca de dois anos e ele próprio já foi ouvido pelas autoridades.

“Nessa altura, descrevi tudo aquilo que sei e tudo aquilo que me foi relatado, porque essa é a minha obrigação”, revela o autarca, sublinhando que “as entidades públicas terão que avaliar” as situações denunciadas.

José Alberto Guerreiro diz ainda que este problema “ultrapassa aquilo que é a atividade agrícola”, dando o exemplo de estabelecimentos comerciais em Odemira que “têm um conjunto de empregados que não é justificado pelo espaço”, nomeadamente “supermercados com 200 metros quadrados” de área e que “têm 30 ou 40 trabalhadores”.

“Há espaços de venda ao público de bebidas que têm dez vezes mais empregados do que é normal”, mas também existem “outras questões muito estranhas”, em que “muitos dos negócios são em dinheiro”, diz.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima