Almodôvar: Sebastião candidato do PSD sem apoio da Concelhia

Almodôvar: Sebastião candidato

António Sebastião vai mesmo ser o candidato do PSD à presidência da Câmara de Almodôvar nas eleições Autárquicas do próximo dia 1 de Outubro. A candidatura do ex-autarca, que será seguido na lista por Ricardo Colaço e Sílvia Batista, foi aprovada na passada semana pela Distrital de Beja do PSD, mas ao contrário do inicialmente previsto não contará com o apoio da Concelhia de Almodôvar, que acusa os Independentes de terem violado o acordo estabelecido entre ambas as partes em Janeiro deste ano.
“O PSD de Almodôvar foi usado e traído, por manifesta incoerência e deslealdade de princípios”, acusa sem meias palavras o presidente da Concelhia laranja em declarações ao “CA”.
Para Fernando Palma, “uma lista de candidatos proposta pela Distrital e não pela Concelhia, como os estatutos [do PSD] obrigam, com a anuência e aceitação dos Independentes, não poderá em tempo algum ser aceite pela Secção”. “E muito menos apoiada ou integrada pela mesma”, acrescenta.

Do consenso à divisão
O afastamento da Concelhia de Almodôvar do PSD da candidatura do partido à Câmara Municipal local surge três meses depois de sociais-democratas e independentes terem chegado a acordo para concorrem em conjunto. Na altura, tal como noticiou o “CA”, ficou definido que a lista seria encabeçada por António Sebastião, seguido de Fernando Palma (indicado pelo PSD) e Sílvia Batista (indicada pelos independentes). O quarto nome seria indicado pelo PSD e o quinto pelas duas forças políticas.
Aprovados os nomes na Concelhia, o processo subiu à Distrital. E foi então que do consenso se passou para a divisão. Numa primeira instância, a Distrital de Beja terá proposto que Ricardo Colaço – “vereador do PSD coligado desde o início do mandato com o Partido Socialista”, acusa Fernando Palma – fosse o terceiro nome da lista. Mas depois exigiu que este fosse em segundo lugar, caindo Fernando Palma para o quarto lugar.
Uma exigência, continua Fernando Palma, que o Movimento de Independentes “acabou por aceitar, contra a vontade do PSD de Almodôvar, traindo assim a confiança cimentada com a Concelhia ao longo de mais de dois anos de diálogo e negociação”.
Mais tarde, o PSD de Almodôvar ainda propôs que fosse aceite a primeira proposta da Distrital, com Ricardo Colaço a surgir em terceiro na lista, no lugar de Sílvia Batista. Possibilidade que os independentes rejeitaram, “consumando assim a traição ao PSD de Almodôvar e ao seu líder”, diz Fernando Palma, lembrando ter sido ele quem “assumiu pessoalmente o processo desde o início”, abrindo “as portas da sede a ex-militantes” e acabando “apeado do processo”.
Por tudo isto, resume Fernando Palma, a Concelhia foi “ferida na sua dignidade, ultrapassada e esvaziada de competências”. E há militantes e simpatizantes do PSD “marginalizados” e “que se sentem inúteis, pois a condução do processo eleitoral foi colocada nas mãos do candidato António Sebastião”.
Um quadro que leva o presidente da Concelhia de Almodôvar a considerar que, a nível nacional, impera no PSD “o silêncio, a indiferença e a falta de consideração pelas estruturas de Secção”. E remata afirmando que a Distrital “não se coíbe de violar grosseiramente os estatutos do PSD, não respeitando pessoas que foram legitimamente eleitas para os órgãos locais”.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima