Aljustrel acredita estar a “inverter” tendência de perda de população

A Câmara de Aljustrel considera estar “a conseguir inverter” a tendência de perda de habitantes das últimas décadas e entende que o concelho “tem condições para atrair e fixar a sua população”.

A posição da autarquia surge depois do concelho de Aljustrel ter registado, segundo os dados preliminares dos Censos 2021, revelados na passada semana, uma quebra de apenas 4,1% de habitantes entre 2011 e 2021, sendo o município que menos perdeu população nos distritos de Beja, Évora e Portalegre. Melhor só mesmo Odemira, que registou o maior aumento de população em todo o país.

“Estes dados, não sendo ainda os que esta autarquia deseja, são reveladores, sobretudo quando comparados com o que se passa no Alentejo e em todo o interior do país, da tendência que este município está a conseguir inverter e do caminho que é preciso ainda continuar a trilhar”, frisa a Câmara de Aljustrel em comunicado.

A autarquia mineira lembra que começou a perder população na década de 1960, “acentuando-se esta descida na década de 1970 (menos 4.708 pessoas)”. “Em 1981 teve uma perda de 4,48%, em 2001 de 11,87% e em 2011 de 12,53%”, acrescenta a mesma fonte.

A Câmara de Aljustrel sublinha ainda que os dados dos Censos 2021 não contabilizaram “a população flutuante, que alterna a sua permanência entre o concelho” e a sua morada familiar, “devido à sua atividade laboral”.

“População, esta, que se reveste da maior importância para a dinâmica social e económica deste concelho”, conclui.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima