Odemira quer aumentar oferta de habitação no concelho

A Câmara de Odemira prevê investir quase 98,8 milhões de euros no âmbito da sua Estratégia Local de Habitação (ELH), para garantir soluções de habitação que possa fixar população jovem e resolver casos de construção ilegal existentes no concelho.

Nesse sentido, e conforme adianta o presidente da Câmara Municipal, está prevista a construção de “150 fogos” para atrair e fixar população jovem neste território nos próximos cinco anos.

A resolução dos problemas relacionados com a Área de Fracionamento Ilegal da Propriedade Rústica (AFIRP) de Vila Nova de Milfontes “é a segunda prioridade” da autarquia, que quer “aproveitar a ELH” para “resolver um problema que se arrasta há décadas”.

A AFIRP localiza-se numa área de 1.289 hectares e abrange os lugares das Pousadas Velhas, Malhadinhas, Caiada, Lagoa das Gansas, Freixial, Alpenduradas, Foros da Pereira/Pereirinha, Brunheiras e Galeado, na freguesia de Vila Nova de Milfontes.

Esta situação tem criado “um problema grave” ao nível das “condições de habitação” de cerca de 120 famílias, realça o autarca, lembrando que o processo “tem vindo a ser negociado” entre várias entidades, no sentido de legalizar “um fracionamento ilegal”, ao nível dos instrumentos do território.

Partilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Correio Alentejo

Artigos Relacionados

Role para cima